Recuo e pedido de desculpas de Bolsonaro foram exigências de Moraes, revela Paulo Pimenta

Deputado fez novas revelações sobre o pedido de desculpas de Bolsonaro. Segundo o petista, o ministro Alexandre de Moraes disse a Bolsonaro que ele deveria pedir desculpas à nação e ao STF e cessar ataques à Corte, o que foi feito

www.brasil247.com -
(Foto: ABr)


247 - Após revelar nesta quarta-feira (29) que o recuo de Jair Bolsonaro perante o Supremo Tribunal Federal (STF) após os atos golpistas de 7 de setembro foi motivado pelo temor de que o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) fosse preso, o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) publicou em seu Twitter nesta quinta-feira (30) novas informações sobre o caso.

De acordo com o parlamentar, a nota assinada por Bolsonaro, elaborada pelo ex-presidente Michel Temer, foi uma exigência do ministro do STF Alexandre de Moraes, que "disse a Bolsonaro que ele devia pedir desculpas à nação e ao STF, não apenas a ele em particular".

"A partir da postura adotada por Alexandre, surge a nota escrita por Temer. O Ministro ainda exigiu que cessassem os ataques ao STF, a todos os integrantes da corte e ao sistema eleitoral brasileiro. O que aconteceu, visto a entrevista de Bolsonaro para a Veja", explicou o deputado.

Pimenta ainda diz que Bolsonaro prometeu ao magistrado que "'Carluxo' [Carlos Bolsonaro] iria se 'comportar' e parar com os ataques contra a Corte. De lá para cá, não ouvimos mais um pio". 

O parlamentar também narra uma tentativa de Bolsonaro de se encontrar com o ministro Alexandre de Moraes, que negou o pedido. 

O ocupante do Palácio do Planalto, então, perguntou se o ministro da Justiça, Anderson Torres, poderia representá-lo em um encontro. O magistrado aceitou. "Diante da negativa, Bolsonaro pediu que Alexandre recebesse o MJ [ministro da Justiça], Anderson Torres, como prova de boa-fé. O que foi aceito por Alexandre. Torres embarcou em um avião da FAB e foi até a casa do ministro em SP para reafirmar todos os compromissos em nome do acovardado Bolsonaro".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email