Protesto em Recife pede justiça para Miguel, menino que caiu do 9º andar e morreu sob a guarda de patroa da mãe

O ato ocorreu no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). “Vidas Negras importam”, “Crime burguesia branca” e “Cinco unhas valem mais do que cinco anos de um preto” estava escrito em alguns cartazes

(Foto: Ernesto de Carvalho)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Manifestantes em Recife realizaram um ato nesta sexta-feira, 5, no Centro de Recife, para pedir justiça ao menino de 5 anos, Miguel Otávio Santana da Silva, que caiu do 9º andar enquanto estava sob a guarda da patroa de sua mãe, a doméstica Mirtes Renata. A patroa Sari Mariana Côrte Real é primeira-dama de Tamandaré e empregava Mirtes com terceirizada da Prefeitura. Ele foi detida, mas imediatamente solta após pagar fiança de R$ 20 mil.

O ato ocorreu durante a tarde, no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). “Vidas Negras importam”, “Crime burguesia branca” e “Cinco unhas valem mais do que cinco anos de um preto” estava escrito em alguns cartazes, segundo o G1. A última frase faz alusão ao fato de que Sari Corte Real fazia as unhas quando o menino morreu. Os manifestantes gritaram: “não foi um acidente, foi crime” e chamaram Sari de “assassina”. Confira.




O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email