Empresário preso afirma ter feito pagamentos a Witzel quando governador afastado era juiz federal

A Procuradoria-Geral da República citou o depoimento de Edson Torres na segunda denúncia apresentada contra o governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. O empresário Torres, um dos presos na operação Tris In Idem, relatou que fez pagamentos a Witzel em 2018, quando o político ainda era juiz federal

Wilson Witzel
Wilson Witzel (Foto: REUTERS/Pilar Olivares)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Procuradoria-Geral da República (PGR) citou o depoimento de Edson Torres na segunda denúncia apresentada contra o governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC). O empresário Torres, um dos presos na operação deflagrada pela Polícia Federal (PF) Tris In Idem, relatou ao Ministério Público Federal (MPF) que fez pagamentos a Witzel em 2018, quando o político ainda era juiz federal. A reportagem é do portal G1. 

No depoimento, Torres disse que, após a eleição de Witzel, cada grupo que havia ajudado procurou espaços no governo para ter retorno do dinheiro “investido”. O desvio, de acordo com Torres, chegou a R$ 50 milhões só na área da Saúde do estado de Rio de Janeiro, acrescenta a reportagem.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247