Bolsonarista soube da festa com temática do PT de Marcelo Arruda por alguém que tinha acesso às câmeras

Durante um churrasco, Jorge José da Rocha Guaranho teve acesso a imagens do circuito de segurança do local horas antes de assassinar o militante do PT Marcelo Arruda

www.brasil247.com - Guaranho e Marcelo Arruda
Guaranho e Marcelo Arruda (Foto: Reprodução/Redes Sociais)


247 - O policial penal bolsonarista Jorge José da Rocha Guaranho teve acesso a imagens do circuito interno de segurança do Clube Social Aresf (Associação Recreativa e Esportiva da Segurança Física), em Foz do Iguaçu, poucas horas antes de invadir o local e assassinar o guarda municipal Marcelo Arruda, de 50 anos, durante uma festa de aniversário que tinha o PT e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como tema decorativo. Apesar dos indícios de que o crime tenha sido motivado por razões políticas, a Polícia Civil do Paraná descartou esta possibilidade ao concluir o inquérito.

Segundo a delegada Camila Cecconelo, chefe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, uma pessoa, que estava em um churrasco, acessou imagens de circuito interno de segurança do local em que a festa seria realizada. Guaranho, que também estava no evento, teria visto as imagens e perguntado onde a comemoração estaria acontecendo. Ainda segundo a polícia, ele teria ingerido bebida alcóolica.

Ao sair do churrasco, o bolsonarista foi ao local do crime acompanhado da mulher e uma criança. Ao passar em frente ao clube, ele teria começado a gritar palavras de ordem em favor de Jair Bolsonaro (PL) e a xingar os participantes da festa. Ele também teria colocado músicas pró-governo para tocar no volume máximo do aparelho de som do carro com o objetivo de atrapalhar a festa. 

Neste momento, segundo a polícia, Arruda discutiu com Guaranho e atirou terra e pedras contra o veículo. O policial penal disse, então, que voltaria. Ele retornou cerca de 20 minutos depois e entrou no local atirando e gritando “é Bolsonaro”. 

Apesar de ferido, Arruda revidou e atingiu o atirador com quatro disparos. Arruda morreu no local. José Jorge Guaranho segue internado em um hospital de Foz do Iguaçu em estado grave. 

De acordo com a delegada Camila Cecconelo, apesar de ter havido “uma discussão por questões políticas”, é difícil dizermos que ele matou por a vítima ser petista. "Ele teria voltado por se sentir humilhado”.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email