Polícia conclui que assassinato de militante do PT por bolsonarista 'não teve motivação política'

“É difícil dizermos que ele matou por a vítima ser petista. Ele teria voltado por se sentir humilhado”, alegou a delegada Camila Cecconelo

www.brasil247.com - Marcelo Arruda e Jorge Guaranho
Marcelo Arruda e Jorge Guaranho (Foto: Reprodução)


247 - A Polícia Civil do Paraná indiciou por homicídio qualificado o policial penal bolsonarista Jorge Guaranho pelo assassinato do guarda municipal e tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu, Marcelo Arruda, no sábado (9). Apesar de Guaranho ter entrado no local onde acontecia a festa de aniversário de Arruda - que tinha o PT como tema decorativo - aos gritos de “é Bolsonaro”, a polícia descartou que o crime tenha tido motivação política. 

Segundo a polícia, Guaranho cometeu o crime após ter o carro em que estava junto com a família ser atingido por terra e pedras arremessadas por Arruda. Guaranho, contudo, teria xingado os participantes da festa e gritado palavras de ordem em defesa de Bolsonaro ao saber que a festa tinha o PT e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como motivo temático.  

"Houve uma discussão por questões políticas”, frisou a delegada Camila Cecconelo, chefe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa. Segundo ela, Marcelo Arruda, durante a briga, jogou terra e pedras em Jorge José e em sua família. “É difícil dizermos que ele matou por a vítima ser petista. Ele teria voltado por se sentir humilhado”, disse.

Ainda conforme a delegada, uma pessoa, que estava em um churrasco na tarde do crime, acessou imagens de circuito interno de segurança  do local em que a festa era realizada. Guaranho estava no evento e perguntou onde era realizada a comemoração. Ainda segundo a polícia, ele ingeriu bebida alcoólica durante o churrasco.  

A polícia também informou que um inquérito foi aberto para apurar as agressões que Jorge Guaranho sofreu após atirar contra Marcelo Arruda. Três pessoas são investigadas pelo caso. Guaranho continua internado e o estado de saúde é considerado grave, mas estável. 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email