‘Brasileiros estarão ao meu lado contra o golpe’

Em discurso no Planalto, a presidente Dilma Rousseff propôs um "pacto" logo após o impeachment ser derrubado na Câmara dos Deputados e disse ter certeza que os brasileiros estarão ao seu lado na próxima sexta-feira, quando será iniciada a discussão sobre o processo do impeachment em plenário; "Tenho certeza que os brasileiros estarão ao meu lado e no dia 15 nós vamos vencer a batalha contra golpe", disse; "A partir da próxima semana, com essa página virada, vamos iniciar a repactuação para superar a crise", anunciou a presidente; ela assinou nesta quarta-feira 13, em Brasília, a renovação de contrato entre a Secretaria de Portos e Terminal de Contêineres de Paranaguá

Brasília - DF, 13/04/2016. Presidenta Dilma Rousseff durante assinatura de renovação de contrato de arrendamento entre a Secretaria Especial de Portos e o Terminal de Contêineres de Paranaguá. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Brasília - DF, 13/04/2016. Presidenta Dilma Rousseff durante assinatura de renovação de contrato de arrendamento entre a Secretaria Especial de Portos e o Terminal de Contêineres de Paranaguá. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Paraná 247 - A presidente Dilma Rousseff propôs nesta quarta-feira 13 um "pacto" logo após o impeachment ser derrubado na Câmara dos Deputados. Em discurso no Planalto, ela disse ter certeza que os brasileiros estarão ao seu lado no dia da votação e que o golpe será vencido.

"Tenho certeza que os brasileiros estarão ao meu lado e no dia 15 nós vamos vencer a batalha contra golpe", disse Dilma. "A partir da próxima semana, com essa página virada, vamos iniciar a repactuação para superar a crise", anunciou a presidente.

Dilma assinou, em Brasília, a renovação de contrato entre a Secretaria de Portos e Terminal de Contêineres de Paranaguá, no Paraná. Ela afirmou também que, "apesar das incertezas do momento atual, nós não deixamos de trabalhar um só minuto".

"Estamos fazendo parceria com o setor privado para investir na infraestrutura brasileira. Por isso, nós devemos saudar esse contrato", acrescentou, em referência ao Porto de Paranaguá.

Mais cedo, em entrevista a um grupo de jornalistas no Palácio do Planalto, ele disse que a primeira coisa que fará após derrubado o impeachment será "propor um pacto", mas que, caso seja afastada do cargo, será "carta fora do baralho" (leia mais).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247