Gleisi sobre agressão a estudantes: “Inadmissível”

"Estudantes querem debater a PEC. Querem ser ouvidos. Querem participar e defender seus direitos. É lamentável que sejam recepcionados desta maneira. O estado de exceção casa vez mais evidente. Inadmissível!", criticou a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR)

"Estudantes querem debater a PEC. Querem ser ouvidos. Querem participar e defender seus direitos. É lamentável que sejam recepcionados desta maneira. O estado de exceção casa vez mais evidente. Inadmissível!", criticou a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR)
"Estudantes querem debater a PEC. Querem ser ouvidos. Querem participar e defender seus direitos. É lamentável que sejam recepcionados desta maneira. O estado de exceção casa vez mais evidente. Inadmissível!", criticou a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) (Foto: Gisele Federicce)

Paraná 247 - A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) protestou contra o governo de Michel Temer após o episódio em que estudantes paranaenses que viajaram até Brasília para debater a reforma do ensino médio e a PEC do teto dos gastos foram recebidos com spray de pimenta.

"Estudantes querem debater a PEC. Querem ser ouvidos. Querem participar e defender seus direitos. É lamentável que sejam recepcionados desta maneira. O estado de exceção casa vez mais evidente. Inadmissível!", publicou a senadora em sua página no Facebook.

Os estudantes secundaristas fizeram um cordão humano na entrada do Senado em protesto contra a PEC 55, do teto dos gastos, e a reforma do ensino médio, mesmas propostas que são alvo de protestos das ocupações dos alunos em mais de 1.200 instituições de ensino em todo o Brasil.

Mais cedo, durante sessão da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado, Gleisi denunciou o caso aos senadores. "Teve um problema aqui na entrada do Senado Federal, com estudantes que vieram para acompanhar a discussão da MP do ensino médio e da PEC 241. Tivemos inclusive estudante indo para o hospital", afirmou.

Conheça a TV 247

Mais de Sul

Ao vivo na TV 247 Youtube 247