Procon multa 28 postos por aumento abusivo de preços em Londrina

O Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor do Paraná (Procon-PR) multou 28 postos de combustíveis de Londrina, no norte do Paraná, por aumento abusivo de preços; as empresas receberam multas que somam R$ 291 mil; nos postos multados, Procon-PR identificou que, em março deste ano, os postos reajustaram em R$ 0,30 o preço do litro da gasolina e do álcool; quatro postos foram lacrados por 48 horas por não terem apresentado justificativa para o aumento; após o reajuste em março, o preço médio do litro da gasolina foi vendido por R$ 3,74 e o do álcool por R$ 2,85

O Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor do Paraná (Procon-PR) multou 28 postos de combustíveis de Londrina, no norte do Paraná, por aumento abusivo de preços; as empresas receberam multas que somam R$ 291 mil; nos postos multados, Procon-PR identificou que, em março deste ano, os postos reajustaram em R$ 0,30 o preço do litro da gasolina e do álcool; quatro postos foram lacrados por 48 horas por não terem apresentado justificativa para o aumento; após o reajuste em março, o preço médio do litro da gasolina foi vendido por R$ 3,74 e o do álcool por R$ 2,85
O Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor do Paraná (Procon-PR) multou 28 postos de combustíveis de Londrina, no norte do Paraná, por aumento abusivo de preços; as empresas receberam multas que somam R$ 291 mil; nos postos multados, Procon-PR identificou que, em março deste ano, os postos reajustaram em R$ 0,30 o preço do litro da gasolina e do álcool; quatro postos foram lacrados por 48 horas por não terem apresentado justificativa para o aumento; após o reajuste em março, o preço médio do litro da gasolina foi vendido por R$ 3,74 e o do álcool por R$ 2,85 (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Paraná 247 - O Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor do Paraná (Procon-PR) multou 28 postos de combustíveis de Londrina, no norte do Paraná, por aumento abusivo de preços. As empresas receberam multas que somam R$ 291 mil. Nos postos multados, Procon-PR identificou que, em março deste ano, os postos reajustaram em R$ 0,30 o preço do litro da gasolina e do álcool. Quatro postos foram lacrados por 48 horas por não terem apresentado justificativa para o aumento.

Após o reajuste em março, o preço médio do litro da gasolina foi vendido por R$ 3,74 e o do álcool por R$ 2,85. Com a fiscalização, os postos vendem o litro dos combustíveis por R$ 3,39 e R$ 2,19, respectivamente.

"Em razão desse aumento tão grande sem nenhuma justificativa naquela época, pois não havia modificação de preço na refinaria, não haveria uma causa justa para a modificação", disse o coordenador do Procon em Londrina, Rodrigo Brum, conforme relato do G1.

Os postos alegaram que, na época do reajuste, estavam amargando prejuízos. Eles disseram que o valor do combustível pode ser estipulado livremente. O Procon-PR discorda.

 A assessoria jurídica do Sindicombustíveis informou que a entidade não tem conhecimento das multas aplicadas pelo Procon-PR e que não irá se manifestar nesse momento.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247