Revisor marca segundo gol de mão contra Lula

(Foto: Alex Solnik)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

   A estratégia que o revisor Leandro Paulsen apresentou em seu voto é, em muitos aspectos, semelhante à escolhida por Moro e pelo relator João Gebran Neto: um voto extenso, cansativo, que margeia o caso, mas pouco se refere ao que mais importa, a propriedade do triplex.

   Paulsen parece ter baseado seu voto no power-point de Dalagnol. Usa e abusa de acusações genéricas, assim como Moro e Gebran, tais como “criminalidade organizada”, “Lula no vértice do esquema criminoso”.

   Frases de efeito entraram em sua longa, monótona e cansativa explanação:

   “Ninguém será absolvido por ter costas quentes”.

   “Temos de impedir que dinheiro público viaje na bagagem da impunidade”.

   Elogios a Moro não deixaram dúvida acerca de seu voto. A certa altura ele cita uma frase da sentença:

   “Por mais alto que você esteja, a lei está acima de você”.

   Mas nada de mostrar que Lula é o dono do triplex.

   Depois de 60 minutos de blablabla não há dúvida que ele vai marcar o segundo gol de mão contra Lula.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247