Rio de Janeiro também entra na produção de vinhos finos

Depois do pioneirismo da Serra Gaúcha na produção de vinhos finos, outras regiões do Brasil passaram a plantar uvas viníferas e, consequentemente, a produzir vinhos

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Depois do pioneirismo da Serra Gaúcha na produção de vinhos finos, outras regiões do Brasil passaram a plantar uvas viníferas e, consequentemente, a produzir vinhos: Santa Catarina, Paraná, Vale do São Francisco e Minas Gerais.

“Se as parreiras são produtivas nos locais mais diversos do mundo, por qual razão também não seriam geradoras de boas uvas aqui na Mantiqueira Fluminense?”

Foi a partir deste questionamento que a Família Aranha, tendo à frente o casal Ângela e José Cláudio, começou a desenvolver a ideia de cultivar as uvas viníferas que dariam origem à Vinícola Inconfidência – a única do Estado do Rio -, em  terras situadas às margens da Estrada Real, no distrito de Inconfidência (antigo Sebollas), no município de Paraíba do Sul. 

Assim, em 2010, foram plantadas parreiras para a produção de uvas e vinhos finos de qualidade, com uvas tintas Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot e Syrah, e a uva branca Sauvignon Blanc.

A primeira safra foi colhida três anos depois. Os primeiros vinhos Inconfidência foram vinificados na Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais), vinculada às universidades públicas mineiras. Seu campo experimental, em Caldas, é que presta serviços de vinificação.

Ano passado, a Inconfidência deu mais um passo, com a construção da sua cantina, em um galpão de 500 metros quadrados. Tem capacidade para produzir 20 mil garrafas de vinho, por ano, mas a produção atual é de 2,5 mil garrafas por ano. Isso significa que, agora, as uvas da propriedade são vinificadas “em casa”, sob supervisão do enólogo gaúcho Mário Lucas.

Com uma produção ainda pequena, vendida na própria vinícola e para restaurantes da região, a Inconfidência já lançou quatro rótulos: os varietais Sauvignon Blanc, Cabernet Franc e Syrah e um blend de Cabernet Franc, Merlot, Syrah e Cabernet Sauvignon.

Dando frutos

Inspirados na experiência da Vinícola Inconfidência, três novos vinhedos começam a brotar em terras fluminenses, na região serrana. Em São José do Vale do Rio Preto, a família Tassinari, tradicional produtora de café, dá os primeiros passos no mundo dos vinhos. Já a família Eloy amplia os negócios com um vinhedo em Areal e outro em Itaipava (Petrópolis). 

“Um sommelier amigo da nossa família comentou sobre a Inconfidência e nós ficamos curiosos.  Entramos em contato com proprietário, o José Cláudio, para conhecer, e ele nos incentivou a entrar nesse mundo dos vinhos. Resolvemos investir e diversificar”, conta Laura Tassinari.

Em outubro de 2019 foram plantadas suas primeiras cinco mil mudas de Syrah, Cabernet Sauvignon e Sauvignon Blanc. 

Vinho, paixão e hobby

No caso da família Eloy, o foco dos negócios é a construção civil. O vinho é uma mistura de paixão e hobby, que virou negócio com a aquisição de uma franquia de importadora para compra e venda da bebida.

Agora, o sucesso da Vinícola Inconfidência encorajou a família a diversificar a área de atuação, tendo o vinho como ponto de partida. E eles começaram logo com a criação de dois vinhedos.

Em Petrópolis, no Vale do Cuiabá (Itaipava), fica o Vinhedo Boa Esperança, criado com a plantação de 2,5 mil mudas (Syrah, Cabernet Franc e Merlot) em 7,5 mil metros quadrados. 

Em Areal, a cerca de 20 minutos do centro de Itaipava, está o Vinhedo dos Faisões. O local era uma antiga fazenda de criação das aves. Agora, 4 hectares do terreno receberam 11 mil mudas de Syrah, Cabernet Franc, Merlot, Sauvignon Blanc e Cabernet Sauvignon.

“Com o sucesso da Inconfidência, vimos que produzir vinho no Rio de Janeiro é possível. Se já tínhamos paixão pelo vinho, agora ficou ainda maior”, comenta José Carlos.

Tanto os Eloy quanto os Tassinari têm planos de vinificar suas uvas na cantina da Inconfidência. 

(com a colaboração de Sônia Apolinário)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email