Sarau virtual conversa sobre a relação da comida com a literatura, as memórias e os afetos

Começa a segunda temporada do interessantíssimo sarau virtual “Quanto mais a prosa invade, mais a poesia resiste”, com a participação de sete mulheres escritoras

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Começa nesta segunda-feira, 22, e vai até 20 de julho, a segunda temporada do interessantíssimo sarau virtual “Quanto mais a prosa invade, mais a poesia resiste”, com a participação de sete mulheres escritoras, jornalistas e pesquisadoras, que conversarão sobre literatura, memórias e afetos a partir da relação com a comida. 

Serão cinco encontros às segundas-feiras, 17h, com transmissão ao vivo pelo aplicativo Zoom e também pelo canal do Jornalismo Gastronômico no Youtube. Para participar, basta se inscrever neste endereço:  https://linktr.ee/jornalismo.gastronomico

A abertura contará com a presença da escritora Heloisa Seixas, autora de mais de 20 livros, entre eles, “Uns cheios, outros em vão: receitas que contam histórias” (Ed. Casa da Palavra) A autora vai conversar sobre Cozinha na quarentena: Receitas que contam histórias.

A segunda sessão do sarau, em 29/06 receberá a escritora Cris Lisboa, jornalista e autora de livros de ficção, incluindo “Papel Manteiga” e “Duas Pessoas são muitas coisas”. O tema de sua conversa será escrever sobre comida e embrulhar em papel manteiga.

Três mulheres negras

Para o terceiro encontro (06/07), o sarau recebe um trio de mulheres negras para conversar Poéticas Negras de comida e afetos, com Lourence Alves, Débora do Nascimento e Rute Costa. Lourence é cozinheira, filha de Iemanjá, historiadora, pesquisadora da Cozinha de Santo e Cozinha Afro-brasileira, poeta, escritora e professora de Gastronomia. Débora é bibliotecária, editora e produtora cultural na Oríkì editora e escritora nas coletâneas Vértice: escritas negras e Favela em Mim. Rute é nutricionista, cristã, capoeirista de angola, brincante de jongo, docente da UFRJ-Macaé, coordenadora do Núcleo de Estudos Afro-brasileiro e indígena (Neabi-Macaé-RJ) e do projeto de extensão CulinAfro.

Na quarta sessão (13/07), a conversa será com a jornalista Roni Filgueiras, com experiência no jornalismo gastronômico dos jornais O Globo (Caderno ELA), Jornal do Brasil (revista Domingo) e na revista Estação Zona Sul. Roni vai falar sobre Comida de favela e comida de revista, fruto de sua pesquisa de mestrado sobre comensalidade.

Para encerrar a temporada, a sarau se despede com a sessão À mesa com Proust, com a participação de Michelle Jacob, nutricionista e doutora em Ciências Sociais. Em sua tese de doutorado estudou aspectos da alimentação humana na obra do escritor francês Marcel Proust e propõe, a partir daí, o conceito de “nutrição indócil”. Seus estudos focam dietas como fenômenos bioculturais. É coordenadora do Laboratório horta comunitária nutrir, o LabNutrir/UFRN.

Jornalismo gastronômico

O sarau é uma iniciativa das coordenadoras do curso livre de Jornalismo Gastronômico (FACHA/RJ), Juliana Dias e Juliana Venturelli, pesquisadoras na área de alimentação e cultura. Os encontros surgiram no contexto da pandemia e da quarenta com o intuito de refletir sobre as prosas do tempo atual, as temporalidades impostas com o isolamento social e as vias possíveis por meio da poesia, da literatura em diálogo com os modos de produzir alimentos, comer e viver.

Confira a programação completa em @jornalismo.gastronomico (Instagram).

Informações: [email protected] 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247