Militares sobem o tom e dizem a Fachin que "não se sentem prestigiados" pelo TSE nas eleições

"A todos nós não interessa concluir o pleito eleitoral sob a sombra da desconfiança dos eleitores", disse ministro da Defesa, Paulo Sergio Nogueira. Flerte com o golpe continua

www.brasil247.com - Paulo Sergio Nogueira e o presidente do TSE Edson Fachin mais TSE e urnas eletrônicas ao fundo
Paulo Sergio Nogueira e o presidente do TSE Edson Fachin mais TSE e urnas eletrônicas ao fundo (Foto: ABR | Reuters)


247 - O ministro da Defesa, Paulo Sergio Nogueira, encaminhou nesta sexta-feira (10) um documento ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, no qual cobra que as propostas feitas pelas Forças Armadas para o sistema eleitoral sejam atendidas. O teor do documento foi publicado nesta sexta-feira (10) pela CNN Brasil

"Até o momento, as Forças Armadas não se sentem devidamente prestigiadas por atenderem ao honroso convite do TSE para integrar a Comissão de Transparência", afirmou o titular da pasta. "A todos nós não interessa concluir o pleito eleitoral sob a sombra da desconfiança dos eleitores. Eleições transparentes são questões de soberania nacional e de respeito aos eleitores", continuou.

"Destaca-se que, por se tratar de uma eleição eletrônica, os meios de fiscalização devem se atualizar continuamente, exigindo pessoal especializado em segurança cibernética e de dados. Não basta, portanto, a participação de 'observadores visuais', nacionais e estrangeiros, do processo eleitoral", acrescentou. 

O documento do ministro ao TSE foi uma iniciativa alinhada com o discurso de Jair Bolsonaro (PL), que tem defendido a atuação das Forças Armadas na checagem do resultado das eleições, um posicionamento visto pro oposicionistas como tentativa de golpe.

Em maio, o TSE concluiu testes em urnas eletrônicas e informou que investigadores não conseguiram alterar voto, mudar o resultado da urna ou fraudar o processo eleitoral. 

Na terça-feira (31) da semana passada, Fachin pediu que a comunidade internacional "esteja alerta contra acusações levianas" sobre o sistema eleitoral brasileiro. 

Também no mês de maio, o presidente do TSE afirmou que o processo eleitoral tem de ser acompanhado por "forças desarmadas".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247