Racista que ofendeu entregador em Valinhos volta a atacar em Campinas (vídeo)

Vídeo gravado mostra o homem chamando o outro de preto e dizendo que ele era nórdico. “Você tem inveja disso”, apontando para a própria pele

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O homem racista que atacou entregador negro em Valinhos (SP) no ano passado ofendeu novamente neste semana. Ele agrediu verbalmente os donos de um mercado que fica na Avenida Doutor Eduardo Pereira de Almeida, no bairro Real Parque, no distrito de Barão Geraldo, em Campinas.

Vídeo gravado mostra o homem chamando o outro de preto e dizendo que ele era nórdico. “Você tem inveja disso”, apontando para a própria pele, igual fez com o entregador em Valinhos.

No vídeo, ele também xinga uma pessoa de lixo, otário e palhaço.

Racista é denunciado por discriminação

Em dezembro, o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) por discriminação de raça e cor. No dia 31 de julho, Matheus Abreu Almeida Prado Couto chamou o entregador Matheus Pires Barbosa de “lixo e semianalfabeto”.

O motoboy estava em um condomínio da cidade, quando solicitante do serviço, o contabilista Couto, o chamou de "lixo e semianalfabeto" e afirmou que o jovem teira “inveja de sua cor". O ataque foi registrado em vídeo por um dos moradores do condomínio.

Segundo a promotora Regina Mondin os termos ofensivos foram utilizados "com a intenção não só de desqualificar e humilhar o entregador, mas de afirmar sua superioridade e subjugar todos os integrantes da população negra".

Couto agiu "com a mesma intenção discriminatória de raça e cor, em menosprezo à população negra, cuspiu no entregador e, com deboche, imitou um macaco/gorila, batendo em seu próprio peito e fazendo sinais e sons, comportando-se como o animal".

O MP-SP pediu que ele seja obrigado a pagar valor a ser determinado pelo Judiciário para reparação dos danos morais causados à vítima e à coletividade. A Polícia Civil de SP também abriu um inquérito para investigar a acusação de injúria racial.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email