"Ele cuspiu em mim, jogou a nota no chão e disse que eu era lixo", relata entregador vítima de racismo

"Na frente da polícia, ele continuou com as agressões, me chamou de favelado", contou o jovem Mateus Pires, que foi vítima de agressões racistas do contabilista Mateus Abreu Almeida Prado Couto em Valinhos

Jovem entregador de aplicativo e vítima de racismo em Valinhos
Jovem entregador de aplicativo e vítima de racismo em Valinhos (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jovem negro Mateus Pires, entregador de aplicativo, deu detalhes sobre a cena de racismo que sofreu de um homem branco, identificado como Mateus Abreu Almeida Prado Couto, em Valinhos (SP). 

Segundo a jornalista Andreia Sadi, em seu Twitter, Matheus contou que, após a chegada da Polícia, o agressor continuou os ataques racistas contra ele. "O que ele faz é p/se mostrar superior. Teve um momento que ele cuspiu em mim, jogou a nota no chão e disse que eu era lixo. Na frente da polícia, ele continuou com as agressões, me chamou de favelado", disse Mateus, segundo a jornalista. 

No vídeo, que causou indignação nas redes sociais, o agressor, Mateus Couto, morador de um bairro de classe média alta, humilha o jovem negro. “Seu lixo, quanto você tira por mês, 2 mil reais? Não deve ter nem onde morar”, afirma. 

Segundo o jornalista Tacio Lorran, do site Metrópoles, Mateus Couto é contabilista e tem apenas o ensino médio completo. Um internauta apontou que ele seria seguidor do ex-astrólogo Olavo de Carvalho e resgatou um comentário atribuído ao agressor, de 2017.

Assista:

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247