Gleisi rebate dono da Natura, que atacou Lula: “antigo é não combater a fome”

Deputada federal lembrou que empresário ficou rico durante os governos petistas e ironizou apoio a Tebet: "Esse novo deles é a ponte do Temer, que jogou o país nessa crise"

www.brasil247.com - Gleisi Hoffmann e Pedro Passos
Gleisi Hoffmann e Pedro Passos (Foto: Paulo Sérgio/Câmara dos Deputados | Reprodução/Youtube)


247 - A deputada federal e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, rebateu a declaração do dono da Natura, Pedro Passos, que atacou as propostas do ex-presidente Lula (PT) em entrevista ao Estado de S. Paulo publicada nesta segunda-feira (4).

Passos havia afirmado que as propostas de reformas tributária e administrativa do petista são "superficiais" e reprovou a crítica de Lula à política de preços da Petrobrás. Além disso, declarou apoio à pré-candidata Simone Tebet (MDB), que representa o projeto mal-sucedido da "Ponte para o futuro" de seu correligionário Michel Temer.

Gleisi respondeu ao empresário em seu Twitter: "Pedro Passos, da Natura, que lucrou muito nos governos do PT, diz que Lula traz soluções antigas, que o novo tá na terceira via com Tebet. Esse novo deles é a ponte do Temer, que jogou o país nessa crise e é seguida por Bolsonaro." Vale destacar que Passos se tornou bilionário na era Lula, com a expansão do mercado de consumo e a abertura de capital de sua empresa.

"Lembrar que antigo É NÃO combater a fome e a miséria no país", concluiu a presidente do PT.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247