Bolsonaro após Brasil passar de 480 mil mortes: "o milagre para termos poucos óbitos é o remédio da malária e o do piolho"

Em live nas redes sociais, Jair Bolsonaro volta a citar parecer já desmentido pelo TCU: trabalho com “fortes sinalizações” de que houve supernotificação de mortes por Covid. O “milagre” para o Brasil ter “poucos óbitos” foi o tratamento precoce, repetiu

Bolsonaro com uma caixa de cloroquina
Bolsonaro com uma caixa de cloroquina (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro voltou a defender o ineficaz tratamento precoce contra a Covid-19, nesta quinta-feira, 10, em live nas redes sociais, no dia em que o Brasil ultrapassou a marca de 480 mil mortos oficiais pela doença.

Ele declarou que o “milagre” para o Brasil ter “poucos óbitos” foi o tratamento precoce foi o tratamento precoce. "Talvez eu tenha sido o único chefe de estado no mundo a apostar nisso, mas não apostei nisso de graça, não foi um chute da minha cabeça", argumentou em live. 

Ainda, reforçando o que afirmou em discurso no Palácio do Planalto mais cedo, Bolsonaro novamente citou parecer falso -  já desmentido pelo Tribunal de Contas da União (TCU) -  segundo o qual cerca de 50% das mortes por Covid-19 em 2020 tiveram outras causas. O auditor da Corte que tentou inserir os dados no sistema foi afastado.

Ele afirmou que trabalha com “fortes sinalizações” de que houve supernotificação de mortes pelo novo coronavírus no país.

As principais suspeitas, no entanto, é que haja subnotificação de casos e óbitos por Covid-19 no país, uma vez que o Brasil é um dos países que menos testa contra a doença.

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email