Após ser afastado do cargo, auditor do TCU confessa que pai militar repassou dados falsos a Bolsonaro

O auditor do TCU Alexandre Figueiredo Costa e Silva Marques confessou a autoria das análises que levaram Jair Bolsonaro a divulgar notícias falsas do órgão questionando as mortes por Covid-19 no Brasil. As análises inverídicas de Marques, afastado do cargo nesta quarta, foram repassadas para Bolsonaro através de seu pai, militar e amigo pessoal do mandatário

www.brasil247.com - Bolsonaro e Alexandre Figueiredo
Bolsonaro e Alexandre Figueiredo (Foto: REUTERS/Adriano Machado | Reprodução)


247 - O auditor Alexandre Figueiredo Costa e Silva Marques confessou à sua chefia imediata no Tribunal de Contas da União (TCU) a autoria das análises que levaram Jair Bolsonaro a divulgar  notícias falsas de que o órgão questionava as mortes por Covid-19 no Brasil. A informação é da jornalista Mônica Bergamo, em sua coluna no jornal Folha de S.Paulo. 

De acordo com informações preliminares já encaminhadas à corregedoria do tribunal, o auditor, afastado nesta  quarta-feira (9) do órgão, relatou que comentou o teor de suas análises pessoais com o pai, militar e amigo pessoal de Bolsonaro, que repassou o documento ao mandatário. 

Segundo relata a jornalista, as famílias dele e de Bolsonaro seriam tão próximas que o auditor chegou a ser indicado para uma diretoria do BNDES em 2019. Sua posse foi barrada pelo próprio TCU, por conflito de interesses, já que o tribunal fiscaliza o banco.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além de ser afastado do cargo, Alexandre é alvo de uma investigação preliminar realizada pela equipe técnica do TCU que apura o caso e terá que prestar esclarecimentos sobre a manipulação de dados à CPI da Covid-19 no Senado. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nesta quarta-feira (9), o TCU deverá decidir se abre um processo disciplinar contra Marques, que poderá culminar no seu afastamento efetivo do cargo ou até mesmo na sua demissão. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email