Após críticas de Barbosa, colegas defendem Peluso

Gilmar Mendes disse ter a mais profunda admirao por Cezar Peluso, enquanto o novo presidente do Supremo, Carlos Ayres Britto, destacou que " impossvel manipular o resultado de um julgamento, algo que Joaquim Barbosa acusou o "caipira" Peluso de fazer, em entrevista a O Globo

Após críticas de Barbosa, colegas defendem Peluso
Após críticas de Barbosa, colegas defendem Peluso (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ministro Joaquim Barbosa parecer ter saído perdendo, pelo menos dentro do Supremo Tribunal Federal, da richa com o colega Cezar Peluso. Chamado de inseguro por Peluso, Barbosa rebateu as críticas com palavras bem mais duras, como “ridículo”, “brega” e “tirano”, em entrevista ao jornal O Globo publicada nesta sexta-feira. Barbosa também acusou o colega de manipular resultados de julgamento, o que não pegou nada bem entre seus pares.

Em defesa de Peluso, Gilmas Mendes declarou ter “a mais profunda admiração” pelo colega. “Essa é a lembrança que tenho dele durante todo o tempo como juiz, como meu vice-presidente e acredito que é essa é a mensagem, essa é a forma que devemos rememorar todo o seu trabalho”, disse. De acordo Mendes, Peluso teve uma presidência "cheia de conflitos e dificuldades" (ele esteve à frente do STF até esta quinta-feira). Por isso, "é possível que tenha tido a necessidade de fazer uma constatação, um juízo mais forte, eventualmente um desabafo", disse o ministro, em referência á acusação de manipulação de Barbosa.

"É impossível manipular o resultado”, foi mais direto o novo presidente do Supremo, Carlos Ayres Britto. “Porque se um presidente proferir um resultado em desconformidade com o conteúdo da decisão, ele está desconsiderando o voto de cada um dos ministros", completou . "O que aconteceu e tem acontecido, e pode ser confundido com manipulação, é um presidente mais enfático. Entre o voto e a proclamação, ele tenta reverter o quadro, mas isso é natural, não é manipulação. Nunca vi e nunca verei um presidente alterar o conteúdo de decisão, porque os outros perceberiam", explicou Ayres Britto.

O ministro Marco Aurélio Mello não chegou a se posicionar, mas lamentou a troca de ofensas. "O sentimento é de estarrecimento. É uma quadra difícil. Estou perplexo. Vamos ver o que o acontece agora”, disse. “É péssimo, porque todos nós estamos de passagem. A instituição é perene.

Quando integrantes se digladiam, essa autofagia acaba enfraquecendo a instituição", completou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email