Autoridades querem recompensa a denunciantes

Proposta foi aprovada por representantes da Enccla (Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro) em encontro realizado na semana passada em Fortaleza (CE) e pode virar um projeto de lei no Congresso; segundo Márcio Antonio Rocha, da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), as recompensas só valeriam para denunciantes que não participaram de crimes

Proposta foi aprovada por representantes da Enccla (Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro) em encontro realizado na semana passada em Fortaleza (CE) e pode virar um projeto de lei no Congresso; segundo Márcio Antonio Rocha, da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), as recompensas só valeriam para denunciantes que não participaram de crimes
Proposta foi aprovada por representantes da Enccla (Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro) em encontro realizado na semana passada em Fortaleza (CE) e pode virar um projeto de lei no Congresso; segundo Márcio Antonio Rocha, da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), as recompensas só valeriam para denunciantes que não participaram de crimes (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Autoridades federais atuantes no combate à corrupção querem instituir o pagamento de recompensas para os denunciantes de crimes contra os cofres públicos - de 10% a 20% do valor recuperado.

De acordo com a reportagem de Flavio Ferreira, proposta foi aprovada por representantes da Enccla (Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro) em encontro realizado na semana passada em Fortaleza (CE) e pode virar um projeto de lei no Congresso.

Segundo Márcio Antonio Rocha, da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), as recompensas só valeriam para denunciantes que não participaram de crimes (leia mais).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247