Delação da Andrade é café pequeno perto da OAS

Do alto da Procuradoria Geral da República: a delação da Andrade Gutierrez é café-pequeno diante da possibilidade de delação da Odebrecht e da OAS, afirma o colunista Ancelmo Gois; delatores da Andrade falaram em propina que supostamente abasteceu a campanha Dilma Rousseff, que tinha origem em contratos da empreiteira para a execução das obras do Complexo Petroquímico do Rio, a usina nuclear de Angra 3 e a megahidrelétrica de Belo Monte

Do alto da Procuradoria Geral da República: a delação da Andrade Gutierrez é café-pequeno diante da possibilidade de delação da Odebrecht e da OAS, afirma o colunista Ancelmo Gois; delatores da Andrade falaram em propina que supostamente abasteceu a campanha Dilma Rousseff, que tinha origem em contratos da empreiteira para a execução das obras do Complexo Petroquímico do Rio, a usina nuclear de Angra 3 e a megahidrelétrica de Belo Monte
Do alto da Procuradoria Geral da República: a delação da Andrade Gutierrez é café-pequeno diante da possibilidade de delação da Odebrecht e da OAS, afirma o colunista Ancelmo Gois; delatores da Andrade falaram em propina que supostamente abasteceu a campanha Dilma Rousseff, que tinha origem em contratos da empreiteira para a execução das obras do Complexo Petroquímico do Rio, a usina nuclear de Angra 3 e a megahidrelétrica de Belo Monte (Foto: Roberta Namour)

247 - Do alto da Procuradoria Geral da República: a delação da Andrade Gutierrez é café-pequeno diante da possibilidade de delação da Odebrecht e da OAS, afirma o colunista Ancelmo Gois.

Delatores da Andrade falaram em propina que supostamente abasteceu a campanha Dilma Rousseff, que tinha origem em contratos da empreiteira para a execução das obras do Complexo Petroquímico do Rio, a usina nuclear de Angra 3 e a megahidrelétrica de Belo Monte.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247