Em retração, classes A e B ganham 464 mil negros

As classes A e B receberam 464 mil pessoas que se declaram pretas e pardas em 2017, apesar de o número de pessoas desta faixa da sociedade teve redução de 800 mil; a quantidade de negros e pardos foi de 5,4% na classe A e de 1,2% na B, de acordo com levantamento feito para a Folha por Cosmo Donato, economista da LCA Consultores

Em retração, classes A e B ganham 464 mil negros
Em retração, classes A e B ganham 464 mil negros (Foto: Marcelo Casal Jr - ABR)

247 - As classes A e B receberam 464 mil pessoas que se declaram pretas e pardas em 2017, apesar de o número de pessoas desta faixa da sociedade teve redução de 800 mil. A quantidade de negros e pardos foi de 5,4% na classe A e de 1,2% na B, de acordo com levantamento feito para a Folha por Cosmo Donato, economista da LCA Consultores. 

"Se a gente não estivesse em crise, é possível que essa inserção tivesse sido até mesmo maior", afirmou Donato.

No geral, a classe A retraiu 2,7% e a classe B, 0,7%. Apenas a base da pirâmide, a classe E, ganhou 1,5 milhão de pessoas, o que representa aumento de quase 9%.

A trajetória de pretos e pardos é o único recorte positivo entre todas as classes de renda, de 2016 para 2017.

São consideradas famílias da classe A aquelas com renda média mensal total superior a R$ 14.200 e as de classe B, entre R$ 4.000 e o valor mais alto. Famílias de classe E têm renda mensal total de até R$ 714.

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247