Embaixador brasileiro rebate NYT sobre corrupção, mas defende Temer

Em resposta a um editorial de 6 de junho em que o The New York Times disse que o Brasil é "medalha de ouro" entre os países que permitem corrupção na política, o embaixador brasileiro nos EUA, Luiz Alberto Figueiredo Machado, publicou um texto nesta quinta-feira em que afirma que as instituições brasileiras têm amplo apoio "de uma sociedade que não tolera nem a corrupção nem a complacência diante dela" e que "não há mais espaço no Brasil para aqueles que são amigos de poderosos. A lei é para todos – incluindo presidentes e ex-presidentes"; ele também saúda o presidente interino Michel Temer, acusado de corrupção pelo delator Sérgio Machado

Em resposta a um editorial de 6 de junho em que o The New York Times disse que o Brasil é "medalha de ouro" entre os países que permitem corrupção na política, o embaixador brasileiro nos EUA, Luiz Alberto Figueiredo Machado, publicou um texto nesta quinta-feira em que afirma que as instituições brasileiras têm amplo apoio "de uma sociedade que não tolera nem a corrupção nem a complacência diante dela" e que "não há mais espaço no Brasil para aqueles que são amigos de poderosos. A lei é para todos – incluindo presidentes e ex-presidentes"; ele também saúda o presidente interino Michel Temer, acusado de corrupção pelo delator Sérgio Machado
Em resposta a um editorial de 6 de junho em que o The New York Times disse que o Brasil é "medalha de ouro" entre os países que permitem corrupção na política, o embaixador brasileiro nos EUA, Luiz Alberto Figueiredo Machado, publicou um texto nesta quinta-feira em que afirma que as instituições brasileiras têm amplo apoio "de uma sociedade que não tolera nem a corrupção nem a complacência diante dela" e que "não há mais espaço no Brasil para aqueles que são amigos de poderosos. A lei é para todos – incluindo presidentes e ex-presidentes"; ele também saúda o presidente interino Michel Temer, acusado de corrupção pelo delator Sérgio Machado (Foto: Gisele Federicce)

Jornal do Brasil - No último dia 6 de junho, o jornal norte-americano The New York Times publicou um editorial dizendo que o Brasil é "medalha de ouro" entre os países que permitem corrupção na política.

Nesta quinta-feira (16), em resposta ao texto, o embaixador brasileiro nos EUA, Luiz Alberto Figueiredo Machado, publicou um texto no jornal desmentindo fatos mostrados ali anteriormente.

Para Machado, a democracia brasileira se firmou durante as últimas três décadas. "Uma prova disso é que estamos agora no meio do segundo processo de impeachment presidencial em menos de 25 anos."

Não há mais espaço no Brasil para aqueles que são amigos de poderosos, diz a carta do embaixador 

Não há mais espaço no Brasil para aqueles que são amigos de poderosos, diz a carta do embaixador 

O embaixador também diz em seu artigo no NYT que a Procuradoria-Geral da República, a Polícia Federal, as agências governamentais e o sistema judiciários têm amplo apoio "de uma sociedade que não tolera nem a corrupção nem a complacência diante dela. Não há mais espaço no Brasil para aqueles que são amigos de poderosos. A lei é para todos – incluindo presidentes e ex-presidentes."

Machado ainda saúda o presidente interino Michel Temer, afirmando que ele já disse publicamente, e repetidas vezes, que mantém um compromisso em manter as investigações que estão em curso, livres de quaisquer discriminações políticas e partidárias.

Por isso, conclui a carta do embaixador publicada no The New York Times, "o Brasil deve ganhar uma medalha de ouro não pela corrupção, mas pelo contrário. Pela coragem de lutar contra a corrupção."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247