Grito dos Excluídos irá denunciar o aumento da desigualdade, do desemprego, e destruição da Amazônia

Com o lema: "Este Sistema Não Vale. Lutamos por Justiça, Direitos e Liberdade", o Grito deste 7 de setembro irá denunciar o aumento da desigualdade social e do desemprego, além de protestar contra a destruição da Amazônia, os cortes de recursos na educação, moradia e saúde

(Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Central de Movimentos Populares (CMP), pastorais sociais, centrais sindicais, movimento estudantil, preparam para 7 de setembro, em todo o país, a 25° edição do Grito dos Excluí[email protected] Com o lema: "Este Sistema Não Vale.  Lutamos por Justiça, Direitos e Liberdade", o grito irá denunciar o aumento da desigualdade social e do desemprego, além de protestar contra a destruição da Amazônia, os cortes de recursos na educação, moradia e saúde. Também será pauta do Grito a luta contra o desmonte da previdência, da precarização do trabalho, a defesa da soberania e da democracia.  

A CMP lidera a organização de um dos maiores e mais tradicioanais gritos, o da capital  de São Paulo, realizado tdos os anos na Praça Oswaldo Cruz, na Avenida Paulista, com concentração às 9h, seguida de caminhada até o Monumneto às  Bandeiras, ao lado do Parque Ipirapuera. Esse grito reúne milhares de pessoas de todos os cantos da Cidades, principalmente de movimentos populares da periferia.

 Para Raimundo Bonfim, coordenador nacional da Central de Movimentos Populares, "este ano o grito ganha mais importância, diante do aumento do desemprego, da exclusão social. Da destruição dos direitos e ataque a  soberania e à democracia.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247