Lula: 'não conheço a palavra desistir e não faço uso dela'

A poucos dias de ser julgado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, o ex-presidente Lula afirmou a jornalistas estrangeiros que uma possível impugnação de sua candidatura, caso venha a ser condenado pela corte no caso do tríplex do Guarujá, seria "uma fraude"; Lula também afirmou que não irá desistir de disputar a eleição presidencial de outubro. "Na minha vida eu não conheço a palavra desistir e não faço uso dela", afirmou; "Vou continuar lutando porque eu quero viver até os 120 anos... para estar forte, para estar bem de saúde, para estar de bom humor... O dia 24 para mim não é o dia D, é o dia 24, é um julgamento", disse

lula
lula (Foto: Paulo Emílio)

247 - A poucos dias de ser julgado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou em entrevistas a jornalistas estrangeiros que uma possível impugnação de sua candidatura, caso venha a ser condenado pela corte no caso do tríplex do Guarujá, seria "uma fraude". Lula também afirmou que não irá desistir de disputar a eleição presidencial de outubro. "Na minha vida eu não conheço a palavra desistir e não faço uso dela", afirmou.

"Se o Lula for proibido de ser candidato por uma decisão política do judiciário, obviamente está se montando uma fraude", disse o ex-presidente a correspondentes dos jornais La Nación, Die Zeit, Liberátion, El País, The New York Times e The Guardian. Lula voltou a dizer que sua condenação – 9,6 anos de reclusão - em primeira instância pelo juiz federal Sérgio Moro, foi fruto de um "processo político". "A aceitação (da denúncia) tal como ela foi me faz supor que estamos diante de um processo mais político do que jurídico", afirmou.

Sobre o julgamento da próxima semana, Lula disse esperar que os juízes sigam as leis. "Eu não posso julgar o que vai decidir o tribunal porque eu não conheço nenhum juiz. A única coisa que eu espero é que eles tenham lido o processo e com base nisso eles decidam respeitando o Código Penal e a Constituição", observou. Ele disse, ainda, que mesmo que venha a ser condenado irá continuar lutando.

"Vou continuar lutando porque eu quero viver até os 120 anos... para estar forte, para estar bem de saúde, para estar de bom humor... O dia 24 para mim não é o dia D, é o dia 24, é um julgamento. Eu tenho mais nove ou dez processos", comentou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247