Mandetta alerta que saúde pode entrar em colapso

Em pequena cerimônia com auxiliares, o ex-ministro, demitido nesta quinta-feira por Jair Bolsonaro, disse que idosos não são descartáveis, em alusão a falas anteriores do seu substituto Nelson Teich, alertou para o perigo de um colapso da saúde

Ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta
Ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Durante a breve cerimônia de instalação da sua foto na galeria dos ex-ministros, Mandetta se referiu ao desafio de implementar medidas de isolamento social, que Bolsonaro voltou a criticar ao exonerá-lo e apresentar o novo ministro. 

O ex-ministro vê o risco de estressar muito além do razoável o sistema de saúde e de colapso no SUS

Aludindo ao que está ocorrendo em outras grandes cidades do mundo, o ex-ministro advertiu para o risco de colapso do sistema de saúde  brasileiro. 

Mandetta disse que, caso sejam afrouxadas as recomendações atuais da pasta, o sistema de saúde brasileiro poderá ter reflexos como o da Europa, em que há funcionários que já atendem “com saco de lixo na cabeça”.

Em uma indireta a Bolsonaro, que já chegou a comparar a doença a uma “gripezinha”, Mandetta disse que idosos “não são e nunca serão descartáveis sob o argumento da economia que for”.

Ele expressou preocupação com o relaxamento de medidas de isolamento social e pediu a técnicos da pasta que “não tenham medo de andar ao lado da verdade”, relatam os jornalistas Natália Cancian e Renato Onofre da Folha de S.Paulo.
 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247