Manuela lamenta apoio do PCdoB à reeleição de Maia

Ao responder um internauta nas redes sociais, Manuela lamentou que a falta de unidade do campo político progressista não tenha garantido uma "candidatura comprometida com a democracia", e acabou resultado no apoio a Rodrigo Maia (DEM); "Não foi o que aconteceu: os partidos seguiram diversos caminhos. Lamentavelmente", completou

Manuela lamenta apoio do PCdoB à reeleição de Maia
Manuela lamenta apoio do PCdoB à reeleição de Maia (Foto: Cláudio Kbene)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um internauta questionou Manuela D'Ávila, que é do PCdoB e foi candidata a vice na chapa de Fernando Haddad à Presidência da República, sobre a decisão do partido de apoiar a candidatura à releição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) para a presidência da Câmara dos Deputados.

Ao responder Leandro Ramos, que disse estar "ficando sem esperança", Manuela lamentou que a falta de unidade do campo político progressista não tenha garantido uma candidatura comprometida com a democracia, e acabou resultado no apoio a Maia.

"Para mim, o passo inicial seria termos uma posição conjunta, dos cinco partidos de nosso campo, para que juntos buscássemos construir uma candidatura comprometida com a democracia, mesmo que essa não fosse de nossos partidos, já que tal eleição não é terceiro turno presidencial", disse. "Não foi o que aconteceu: os partidos seguiram diversos caminhos. Lamentavelmente", completou.

Sobre as críticas que a legenda recebeu por indicar o apoio a Maia, que também conta com o apoio de Jair Bolsonaro, Manuela justificou afirmando que as "demarcações e divisões entre Partidos de oposição a Bolsonaro de nada servem ao Brasil e às duras batalhas que teremos pela frente".

"Não estamos numa batalha contra ou a favor de nenhum partido de esquerda mas em defesa da permanência da democracia", afirmou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247