Ministro da Justiça nega 'ameaças concretas' contra juízes que irão julgar Lula

Ministro da Justiça, Torquato Jardim, negou ter sido informado sobre a existência de "ameaças concretas" aos juízes do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) que julgarão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na próxima quarta-feira, 24, em Porto Alegre; "Não houve informação oficial. Estamos acompanhando o que está na internet para saber a plausabilidade", disse; apesar da negativa da existência de ameaças concretas, Jardim ressaltou haver "muito discurso agressivo prometendo ações ilegais"

Ministro da Justiça, Torquato Jardim
Ministro da Justiça, Torquato Jardim (Foto: Paulo Emílio)

247 - O ministro da Justiça, Torquato Jardim, negou ter sido informado sobre a existência de "ameaças concretas" aos juízes do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) que julgarão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na próxima quarta-feira, 24, em Porto Alegre. "Não houve informação oficial. Estamos acompanhando o que está na internet para saber a plausabilidade", disse Torquato.

Segundo ele, os órgãos de segurança estaduais e federais estão trabalhando de forma colaborativa de maneira a "garantir a ordem e a constitucionalidade" na data do julgamento, que em suas próprias palavras, foi definido como "histórico". Ainda assim, Jardim ressaltou haver "muito discurso agressivo prometendo ações ilegais".

O ministro disse, ainda, que 130 homens da Força Nacional foram colocados à disposição para atuar em Porto Alegre até o final do julgamento e que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) irá realizar revistas em ônibus nos acessos da capital. A Polícia Federal atuará na proteção dos magistrados.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247