Moro é "ministro de garantias" de Queiroz e de familiares de Jair Bolsonaro, diz Paulo Pimenta

Deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) ironizou o ministro da Justiça, Sérgio Moro,que vem crticando a criação da figura do juiz de garantias

(Foto: GUSTAVO BEZERRA | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) ironizou a postura ministro da Justiça, Sérgio Moro, em torno da criação da figura do juiz de garantias, alvo de duras críticas por parte do ex-juiz. 

“Moro diz que Juiz de Garantias é inviável. Na cabeça dele, juiz de garantias é o que ele foi para Palocci, FHC, Eduardo Cunha, etc. Agora ele é ministro de ‘garantias’, pro Queiroz, Flávio B., Michele B., Jair B., Adriano N., etc. Moro é jagunço de Milicianos e nunca foi Juiz”, postou Pimenta em sua conta no Twitter. Em referência ao chamado “caso Queiroz”, que coloca o senador Flávio Bolsonaro (sem partido) no centro de um escândalo de lavagem de dinheiro e envolve outros familiares de Jair Bolsonaro, além de ex-assessores.

Na última sexta-feira (27) Moro usou o Twitter para criticar a sanção da criação da figura do "juiz das garantias", prevista no pacote anticrime. "Leio na lei de criação do juiz de garantias que, nas comarcas com um juiz apenas (40 por cento do total), será feito um 'rodízio de magistrados' para resolver a necessidade de outro juiz. Para mim é um mistério o que esse 'rodízio' significa. Tenho dúvidas se alguém sabe a resposta", escreveu Moro em sua conta na rede social. 

PUBLICIDADE

Confira a postagem de Paulo Pimenta sobre o assunto. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email