MPF questiona Mandetta sobre decisão de afrouxar isolamento social

Procuradores dão dois dias para o ministro da Saúde fornecer informações sobre estudos que baseiam a decisão do governo federal, que começa na próxima segunda-feira 13, e quer saber sobre os riscos da medida

(Foto: Isac Nbrega/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, terá de dar explicações ao Ministério Público Federal sobre a decisão anunciada nesta semana que visa o afrouxamento das regras de isolamento social em cidades que tenham metade do sistema de saúde desocupado. As novas regras valem a partir da próxima segunda-feira, 13 de abril.

A PFDC (Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão), órgão do MPF, deu dois dias para o ministro fornecer informações sobre estudos que baseiam a decisão, que orienta governadores e prefeitos, e quer saber sobre os riscos da medida. Os questionamentos são feitos pelos procuradores Deborah Duprat e Marlon Alberto Weichert, informa reportagem do site Poder360.

“A partir de 13 de abril, os municípios, Distrito Federal e Estados que implementaram medidas de DSA (Distanciamento Social Ampliado), onde o número de casos confirmados não tenha impactado em mais de 50% da capacidade instalada existente antes da pandemia, devem iniciar a transição para DSS (Distanciamento Social Seletivo)”, informa boletim epidemiológico publicado na segunda-feira 6 pelo Ministério da Saúde.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email