Osmar Terra desmente secretário sobre pedido de demissão por censura na Cultura

Segundo o ministro da Cidadania Osmar Terra, o ex-secretário nacional de Cultura, Henrique Pires, deixou o cargo por entender que ele “não estava desempenhando as políticas” propostas pelo órgão. Pires disse em entrevista que pediu exoneração em protesto contra a política de censura na Cultura

O ministro da Cidadania, Osmar Terra.
O ministro da Cidadania, Osmar Terra. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

247 - Em nota, o Ministério da Cidadania, comandado por Osmar Terra, desmentiu o ex-secretário nacional de Cultura, Henrique Pires, que disse em entrevista que pediu exoneração do cargo em protesto contra a política de censura de Jair Bolsonaro (PSL).

Segundo Osmar Terra, o ex-secretário deixou o cargo por entender que ele “não estava desempenhando as políticas” propostas pelo órgão.

Disse ainda que ficou surpreso com a alegação de censura, pois Pires não demonstrou "qualquer discordância à frente da secretaria”. O secretário-adjunto e secretário de Fomento e Incentivo à Cultura, José Paulo Soares Martins, ficará no lugar do ex-secretário.

"Eu tenho o maior respeito pelo presidente da República, tenho o maior respeito pelo ministro, mas eu não vou chancelar a censura", disse Pires em entrevista ao G1.

Confira a nota na íntegra:
Ao contrário da versão divulgada pelo ex-secretário especial da Cultura José Henrique Pires o cargo foi pedido pelo ministro da Cidadania, Osmar Terra, na terça-feira (20), à noite, por entender que ele não estava desempenhando as políticas propostas pela pasta. O ministro se diz surpreso com o fato de que o ex-secretário, até ser comunicado da sua demissão, não manifestou qualquer discordância à frente da secretaria. O secretário-adjunto e secretário de Fomento e Incentivo à Cultura, José Paulo Soares Martins, assume o cargo. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247