Sakamoto: Bolsonaro usa bizarra teoria da conspiração a favor da homofobia

"Jair Bolsonaro usou uma bizarra teoria da conspiração sem fundamento aliada a uma declaração homofóbica como ferramenta de gestão de crise de seu governo", desta o jornalista Leonardo Sakamoto em referência aos ataques de Jair Bolsonaro ao jornalista Glenn Greenwald, diretor do Intercept, ao seu companheiro, o deputado federal David Miranda, e ao escritor Jean Wyllys

(Foto: Dir.: Adriano Machado - Reuters)

247 - "Jair Bolsonaro usou uma bizarra teoria da conspiração sem fundamento aliada a uma declaração homofóbica como ferramenta de gestão de crise de seu governo", desta o jornalista Leonardo Sakamoto. "Ironicamente, a 23ª Parada do Orgulho LGBT, um dos maiores eventos do gênero em todo o mundo, será realizada neste domingo (23), em São Paulo, e traz como tema a celebração da luta desse grupo contra o preconceito de agentes públicos".

"Desta vez, o presidente da República afirmou, durante uma coletiva à imprensa em Guaratinguetá (SP), nesta sexta (19), que o jornalista Glenn Greenwald, diretor do Intercept, seu companheiro, o deputado federal David Miranda, e o escritor Jean Wyllys fazem parte de uma trama para atingi-lo. Ele se referiu ao ex-deputado federal, que também é gay, como 'menina' que 'tá lá fora do Brasil'. Jean decidiu sair do país devido às ameaças de morte que recebi", complementa Sakamoto.

De acordo com o jornalista, "o presidente da República não pode usar a posição privilegiada em que está para ir contra a integridade física e psicológica de qualquer cidadão, fazendo com que seus seguidores transformem em um inferno a vida das pessoas que o desagradam". 

"Por mais que diga que não ordena ataques a ninguém, a sobreposição de suas postagens à sua legião de seguidores serve como justificativa para tanto, declarações que alimentam a intolerância, que depois é consumida por fãs malucos ou inconsequentes". 

Leia a íntegra no Blog do Sakamoto

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247