Sem quórum, governo não consegue dar início ao prazo para analisar Previdência

A sessão plenária da Câmara dos Deputados desta segunda (29) daria início a contagem do prazo para analisar a proposta da reforma da Previdência; mas o governo não consegue quorum mínimo de 51 parlamentares

Sem quórum, governo não consegue dar início ao prazo para analisar Previdência
Sem quórum, governo não consegue dar início ao prazo para analisar Previdência (Foto: Agencia Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo tem pressa, mas a proposta de reforma da Previdência continua a caminhar fora do compasso de Jair Bolsonaro e do seu ministro Paulo Guedes.  Nesta segunda-feira (29), a base governista não conseguiu mobilizar os 51 deputados para iniciar sessão na Câmara convocada para contar prazo para a tramitação da reforma da Previdência na comissão especial que analisa o projeto.

Segundo levantamento do site Poder360, até as 14h30, apenas 49 deputados haviam registrado presença na sessão convocada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). São necessárias 40 sessões de plenário para analisar a proposta que muda o sistema de aposentadorias.

Ainda de acordo com o site, a falta de quorum foi proposital e resultado de uma acordo entre líderes partidários para que a contagem de prazo seja iniciada apenas na próxima semana.

Tanto é que assim que a sessão foi encerrada por falta de quórum, parlamentares começaram a registrar a sua presença, e às 15 horas já havia 60 na Casa. Mais uma demonstração de força do chamado centrão na queda de braço com o governo.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247