Sociedade brasileira cultua a violência

Pesquisa realizada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) mostrou que o medo da violência é uma das principais razões para que o brasileiro tenha propensão a posições autoritárias; estudo também apontou que o segmento mais rico da população é o que mais rejeita a ampliação dos direitos humanos e civis no país; sociólogo Renato Sérgio de Lima, diretor-presidente do FBSP, destaca que hoje há espaço no Brasil para posições políticas e ideológicas que reforçam preconceitos, posições reacionárias e atitudes de intolerância

Pesquisa realizada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) mostrou que o medo da violência é uma das principais razões para que o brasileiro tenha propensão a posições autoritárias; estudo também apontou que o segmento mais rico da população é o que mais rejeita a ampliação dos direitos humanos e civis no país; sociólogo Renato Sérgio de Lima, diretor-presidente do FBSP, destaca que hoje há espaço no Brasil para posições políticas e ideológicas que reforçam preconceitos, posições reacionárias e atitudes de intolerância
Pesquisa realizada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) mostrou que o medo da violência é uma das principais razões para que o brasileiro tenha propensão a posições autoritárias; estudo também apontou que o segmento mais rico da população é o que mais rejeita a ampliação dos direitos humanos e civis no país; sociólogo Renato Sérgio de Lima, diretor-presidente do FBSP, destaca que hoje há espaço no Brasil para posições políticas e ideológicas que reforçam preconceitos, posições reacionárias e atitudes de intolerância (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

DW Brasil - Uma pesquisa realizada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), em conjunto com o Datafolha, mostrou que o medo da violência é uma das principais razões para que o brasileiro tenha propensão a posições autoritárias.

O estudo, divulgado na sexta-feira 6, também apontou que o segmento mais rico da população é o que mais rejeita a ampliação dos direitos humanos e civis no país.

Para o sociólogo Renato Sérgio de Lima, diretor-presidente do FBSP, hoje há espaço no Brasil para posições políticas e ideológicas que reforçam preconceitos, posições reacionárias e atitudes de intolerância.

Leia a íntegra da entrevista. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247