Sondagem 247: para 76%, Lula só deve sair com liberdade plena

Sondagem com 4,5 mil votos de inscritos na TV 247 mostra que a ampla maioria defende a posição do ex-presidente Lula sobre sua progressão de pena. 76% responderam que ele deve aceitar apenas a liberdade plena. Apenas 10% disseram que Lula deve aceitar a progressão para o semiaberto, porque o Brasil precisa dele mais ativo politicamente

(Foto: Felipe Gonçalves/Brasil 247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Brasil 247 fez uma enquete neste domingo (29) com 4.500 assinantes da TV 247, publicada na Comunidade do canal no YouTube, sobre a progressão do regime da pena do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cujo pedido do fechado para o semiaberto foi feito pelos procuradores da Lava Jato. 

Perguntados se o Lula deve aceitar o regime semiaberto, 76% responderam que não, que Lula deve aceitar apenas a liberdade plena. Para 15% dos membros da comunidade, a decisão de Lula depende das condições impostas pela juíza Carolina Lebbos. 

Apenas 10% disseram que Lula deve aceitar a progressão para o semiaberto, porque o Brasil precisa dele mais ativo politicamente.

O ex-presidente Lula tem se manifestado reiteradamente que não aceita ir para o regime semiaberto e defnde que só sairá da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba com sua inocência plenamente reconhecida. 

Por outro lado, familiares e líderes do PT e da esquerda defendem que Lula fora da prisão fortalece a luta pela sua liberdade plena e a oposição ao governo de Jair Bolsonaro. 

Leia aqui a pesquisa e comentários dos assinantes. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email