CPI questiona PF se Bolsonaro avisou sobre corrupção na compra da Covaxin

"Esse depoimento traz o presidente definitivamente para o foco das investigações. Vamos aprofundar pois existem indícios mais do que claros de um enorme esquema de corrupção", disse o presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz

www.brasil247.com -
(Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado | Reuters | Reprodução)


247 - A CPI da Covid acionou a Polícia Federal para saber se Jair Bolsonaro repassou à corporação o alerta sobre suspeitas de corrupção no contrato de aquisição da vacina indiana Covaxin, fabricada pela Bharat Biotech e representada no Brasil pela farmacêutica Precisa. O alerta foi feito pelo chefe de importação do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, o servidor Luís Ricardo Fernandes Miranda, que diz ter sofrido “pressões” para agilizar a importação do imunizante. 

“Acabei de pedir para o delegado da PF que peça ao diretor-geral para saber se houve inquérito para investigar essa questão da Covaxin. Se o presidente foi avisado pelo servidor e tomou providências, ótimo. Se não tomou, é preocupante”, disse o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), de acordo com o jornal O Globo

Para o presidente da CPI, "a existência de corrupção nos contratos do governo vira o foco. Esse depoimento traz o presidente definitivamente para o foco das investigações. Vamos aprofundar pois existem indícios mais do que claros de um enorme esquema de corrupção, inclusive com empresa laranja com sede em Cingapura, o que é indício de lavagem de dinheiro. É a empresa Madson Biotech”. 

“A partir de agora, tem-se um novo caminho para investigar. A demora para adquirir algumas vacinas não ocorreu para todas. Há uma diferença de tratamento muito grande. Ele (o servidor do Ministério da Saúde) diz que Pazuello foi demitido porque não aceitava corrupção. Ele está dando uma informação ao Brasil", emendou Omar Aziz. 

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email