Leonardo Boff: “Papa Francisco é um dos nossos”

Teólogo brasileiro concedeu em entrevista à imprensa alemã, onde falou de seus conflitos ideológicos com os papas João Paulo II e Bento XVI; com o papa Francisco, Leonardo Boff ensaia uma aproximação maior com o Vaticano e revela que está próximo de um encontro com o religioso argentino, também adepto da Teologia da Libertação; "Francisco é um dos nossos. Ele transformou a teologia da libertação num bem comum da igreja. E ele a ampliou. O principal interesse dele nem é mais a igreja, muito menos o que se faz dentro da igreja, e sim a sobrevivência da humanidade, o futuro da Terra"

Teólogo brasileiro concedeu em entrevista à imprensa alemã, onde falou de seus conflitos ideológicos com os papas João Paulo II e Bento XVI; com o papa Francisco, Leonardo Boff ensaia uma aproximação maior com o Vaticano e revela que está próximo de um encontro com o religioso argentino, também adepto da Teologia da Libertação; "Francisco é um dos nossos. Ele transformou a teologia da libertação num bem comum da igreja. E ele a ampliou. O principal interesse dele nem é mais a igreja, muito menos o que se faz dentro da igreja, e sim a sobrevivência da humanidade, o futuro da Terra"
Teólogo brasileiro concedeu em entrevista à imprensa alemã, onde falou de seus conflitos ideológicos com os papas João Paulo II e Bento XVI; com o papa Francisco, Leonardo Boff ensaia uma aproximação maior com o Vaticano e revela que está próximo de um encontro com o religioso argentino, também adepto da Teologia da Libertação; "Francisco é um dos nossos. Ele transformou a teologia da libertação num bem comum da igreja. E ele a ampliou. O principal interesse dele nem é mais a igreja, muito menos o que se faz dentro da igreja, e sim a sobrevivência da humanidade, o futuro da Terra" (Foto: José Barbacena)

247 - O teólogo Leonardo Boff concedeu entrevista a uma revista alemã em que fala sobre seus conflitos com a Igreja Católica e a relação com o papa Francisco, também apreciador da Teologia da Libertação. A entrevista foi traduzida pelo Instituto Humanita Unisinos e pode ser lida na íntegra aqui

Boff fala de seus conflitos com os papas João Paulo II e Bento XVI e comenta a aproximação com Francisco, que Boff chama de "um dos nossos". "Francisco é um dos nossos. Ele transformou a teologia da libertação num bem comum da igreja. E ele a ampliou. Quem hoje fala dos pobres também precisa falar da Terra, porque também esta está sendo depredada e violada. “Ouvir o clamor dos pobres” significa ouvir o clamor dos animais, das matas, de toda a criação torturada. A terra inteira está gritando. Portanto, diz o papa, citando o título de um livro meu, hoje precisamos ouvir o clamor dos pobres e ao mesmo tempo o da Terra. Ambos precisam ser libertos. Faz pouco tempo me ocupei intensivamente com essa ampliação da teologia da libertação".

Boff revela que um encontro com o papa Francisco está próximo de acontecer e analisa a forma de pensar do religioso argentino. "Sabe de uma coisa, no quanto eu o entendo, o principal interesse dele nem é mais a igreja, muito menos o que se faz dentro da igreja, e sim a sobrevivência da humanidade, o futuro da Terra. Ambas correm perigo e é preciso perguntar se o cristianismo consegue fazer uma contribuição para superar essa enorme crise na qual a humanidade corre o risco de sucumbi".

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Cultura

Ao vivo na TV 247 Youtube 247