Bolsonaro já derruba a confiança empresarial

Empresários começam a cair na real e descobrem que o 'mito' não trouxe nenhuma propostas destinada a gerar empregos e reaquecer a economia; sua retórica é toda voltada a destruição de direitos e da própria renda nacional; por isso mesmo, o Indicador de Confiança Empresarial (ICE), medido pela FGV, caiu 0,7 ponto em fevereiro, chegando ao patamar de 97 pontos, após quatro altas consecutivas; Índice de Expectativas, que mede a confiança no futuro da economia também encolheu 1,5 ponto, depois de avançar por sete meses seguidos

Bolsonaro já derruba a confiança empresarial
Bolsonaro já derruba a confiança empresarial (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

247 - Empresários começam a cair na real e descobrem que o 'mito' não trouxe nenhuma propostas destinada a gerar empregos e reaquecer a economia; sua retórica é toda voltada a destruição de direitos e da própria renda nacional; por isso mesmo, o Indicador de Confiança Empresarial (ICE), medido pela FGV, caiu 0,7 ponto em fevereiro, chegando ao patamar de 97 pontos, após quatro altas consecutivas; Índice de Expectativas, que mede a confiança no futuro da economia também encolheu 1,5 ponto, depois de avançar por sete meses seguidos.

Segundo a pesquisa, dos quatro segmentos analisados, apenas a indústria teve alta na confiança (0,8 ponto, para 99 pontos). Os demais tiveram queda: comércio (-3,8 pontos, para 100 pontos), construção (-0,4 ponto, para 85 pontos) e serviços (-0,7 ponto, para 96,5 pontos).

O Índice de Expectativas, que mede a confiança no futuro da economia, também encolheu 1,5 ponto, depois de avançar por sete meses seguidos, fechando fevereiro em 101,7 pontos.

De acordo com o pesquisador Aloisio Campelo Jr., o resultado do ICE "sustenta a tese de que, passado o período de lua de mel com o novo governo, a retomada da confiança empresarial será limitada enquanto os níveis de incerteza econômica permanecerem elevados".

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247