Emilio Odebrecht deixa comando da companhia que pode quebrar nos próximos dias

Com a empresa sob risco de recorrer a recuperação extrajudicial se não conseguir R$ 2,5 bi emprestados nos próximos dias, Emilio Odebrecht comanda nesta sexta-feira (27), em Salvador, a última reunião como presidente da empresa fundada por seu pai, cumprindo acordo de sua delação premiada

Com a empresa sob risco de recorrer a recuperação extrajudicial se não conseguir R$ 2,5 bi emprestados nos próximos dias, Emilio Odebrecht comanda nesta sexta-feira (27), em Salvador, a última reunião como presidente da empresa fundada por seu pai, cumprindo acordo de sua delação premiada
Com a empresa sob risco de recorrer a recuperação extrajudicial se não conseguir R$ 2,5 bi emprestados nos próximos dias, Emilio Odebrecht comanda nesta sexta-feira (27), em Salvador, a última reunião como presidente da empresa fundada por seu pai, cumprindo acordo de sua delação premiada (Foto: Leonardo Lucena)

247 - Com a empresa sob risco de recorrer a recuperação extrajudicial se não conseguir R$ 2,5 bi emprestados nos próximos dias, Emilio Odebrecht comanda nesta sexta-feira (27), em Salvador, a última reunião como presidente da empresa fundada por seu pai, cumprindo acordo de sua delação premiada. Na quarta-feira, o grupo deu calote em dívida de R$ 500 milhões a bancos estrangeiros. Nesta quinta-feira (26), a Standard & Poor’s cortou a nota de crédito global da empresa.

A saída de Odebrecht representa uma tentativa de convencer o mercado das boas intenções do grupo para superar as consequências da Operação Lava Jato, que colocou a empresa no centro de um dos maiores escândalos de corrupção no mundo.

Na Lava Jato, o empreiteiro não começou a cumprir a pena dele. Por dois anos, ele usará tornozeleira eletrônica e depois cumprirá regime aberto por outros dois anos. Como quase todos os delatores, aguarda a sentença de condenação.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247