Preços do trigo sobem quase 6% após Índia impor proibição de exportação

Seguindo a medida adotada pelo segundo maior produtor mundial de trigo, os preços futuros no mercado de Chicago subiram 5,9%, atingindo novo recorde em dois meses

www.brasil247.com -
(Foto: Reuters)


RT - Os preços do trigo subiram quase 6% nesta segunda-feira depois que a Índia proibiu as exportações do cereal, uma disposição que aumentou a pressão sobre o custo dos alimentos, causada pela operação militar na Ucrânia, segundo o Financial Times.

Informa-se que os preços futuros no mercado de Chicago (EUA) subiram 5,9%, atingindo 12,47 dólares por bushel (unidade de medida para grãos, equivalente a cerca de 27 quilos), atingindo assim um novo recorde em dois meses. No geral, os preços subiram mais de 60% até agora este ano.

A Índia, segundo maior produtor mundial de trigo depois da China, teve que cobrir o déficit de mercado causado pelo conflito entre Rússia e Ucrânia, países que respondem por quase um terço das exportações mundiais de cereais. Agora, diante da inflação nacional atingindo seu maior nível em oito anos, ele decidiu encerrar as exportações de grãos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No entanto, de acordo com as autoridades, algumas exceções serão permitidas para essas vendas, a fim de “gerir a segurança alimentar geral do país e apoiar as necessidades dos países vizinhos e outros países vulneráveis”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com o chefe global de estratégia de mercado do banco australiano Westpac, Robert Rennie, essa situação “agrava o risco de escassez de alimentos, especialmente para os países em desenvolvimento e aqueles que historicamente dependem de produtos alimentícios da região”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email