R$ 13,5 bilhões é o preço inicial da proposta do governo para o fim da greve

A oferta de R$ 0,46 por litro de diesel mais R$ 0,30 de subvenção custará para o governo R$ 13,5 bilhões, segundo o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia; esse é o preço apenas da proposta que o governo foi obrigado a publicar no Diário Oficial para convencer parte do movimento de caminhoneiros a encerrar a paralisação

Brasília - O ministro interino da Fazenda, Eduardo Guardia durante audiência pública da Comissão Mista Especial sobre a Lei Kandir (Wilson Dias/Agência Brasil)
Brasília - O ministro interino da Fazenda, Eduardo Guardia durante audiência pública da Comissão Mista Especial sobre a Lei Kandir (Wilson Dias/Agência Brasil) (Foto: Gustavo Conde)

247 – A oferta de R$ 0,46 por litro de diesel mais R$ 0,30 de subvenção custará para o governo a bagatela de R$ 13,5 bilhões. Esse é o preço apenas da proposta que o governo foi obrigado a publicar no Diário Oficial para convencer parte do movimento de caminhoneiros a encerrar a paralisação.

Os prejuízos do agronegócio, do desabastecimento e do caos generalizado que tomou e ainda toma conta do país ainda não pode ser devidamente calculado. Milhões de aves morreram, milhões de litros de leite foram jogados fora e montantes incalculáveis de produtos perecíveis apodreceram.

“O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, disse que dos R$ 0,46 por litro do diesel que serão reduzidos do preço do combustível, R$ 0,16 se referem à redução de impostos e os outros R$ 0,30 à subvenção direta para a Petrobras e para os importadores de combustíveis. O custo da redução de tributos, segundo ele, será de R$ 4 bilhões, a ser compensado com a reoneração da folha e outras medidas, o que em tese deixa o impacto fiscal neutro. Já a subvenção de R$ 0,30 por litro terá custo máximo de R$ 9,5 bilhões até o fim do ano, a ser compensada com o uso de toda a sobra da meta fiscal - que ele estimou em R$ 5,7 bilhões - e com mais R$ 3,8 bilhões de cortes de gastos.

Os preços da Petrobras, passado o período 60 dias no qual o governo garantiu o congelamento do preço do diesel, passariam a ter reajustes mensais, mas com a União mantendo a redução de R$ 0,46 sobre o preço calculado para os 30 dias seguintes. "A Petrobras não terá prejuízo", salientou Guardia, destacando ainda que esse subsídio será pago também aos importadores para não haver distorção no mercado e que eventuais perdas por oscilações de preços serão compensadas no período seguinte. Ele lembrou ainda que, se o preço internacional cair e o câmbio valorizar, o custo da subvenção será menor.”

Leia mais aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247