Senado suspende votação da Carteira Verde Amarela e MP deve caducar

Com a suspensão da análise da MP que criou a Carteira Verde Amarela, que reduzia direitos dos trabalhadores e reduzia encargos para o patronato, a MP - cuja validade expira no próximo dia 20 - deverá caducar

Sessão remota do Senado Federal
Sessão remota do Senado Federal (Foto: Reprodução | Edilson Rodrigues/Agência Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Senado não irá votar a medida provisória 905, que cria a chamada Carteira Verde Amarela, que reduz encargos para as empresas que contratarem jovens no primeiro emprego e pessoas acima de 55 anos que estavam fora do mercado formal, além de reduzir direitos trabalhistas históricos. Segundo reportagem da jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, o presidente do Senado, David Alcolumbre (DEM-AP), deve acatar uma questão de ordem do senador e líder da oposição na Casa, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), e suspender a análise da MP que criou a carteira, fazendo com que a MP, cuja validade expira no próximo dia 20, caduque.

O pedido para que a análise da MP fosse suspensa foi encorpado com o apoio do PDT, PSD, PP e MDB. A alegação dos partidos, é que o Senado se reuniu para debater as questões ligadas à pandemia do novo coronavírus e a questão da carteira Verde Amarela não está ligada ao assunto. 

Um outro ponto para que o assunto não entre em pauta está na indisposição dos parlamentares com Jair Bolsonaro, que nesta quinta-feira (16) demitiu Luiz Henrique Mandetta do Ministério da Saúde e fez novos ataques que fez contra o parlamento, diz a jornalista Vera Magalhães no site BR Político.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247