Leoni: só resistir é jogar no campo deles

O cantor e compostitor Leoni, em entrevista ao economista Eduardo Moreira, destacou que a cultura no Brasil é vista como uma “ameaça” pelas classes dominantes e diz que "só resistir é jogar no campo deles e manter tudo como está. Precisamos inventar outra coisa”

(Foto: Reprodução (Youtube))
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Convidado especial da live do economista Eduardo Moreira, do Instituto Conhecimento Liberta, o cantor e compositor Leoni ilustra como, diferentemente do mundo convencional, a arte é uma "dimensão" onde todo mundo pode tudo, formando seus próprios conceitos e ideias. “Os artistas têm a capacidade de inventar mundos. Quando fazemos alguma coisa, trazemos para a realidade o que estava dentro apenas da nossa cabeça. E, é claro, esses mundos novos são muito perigosos [para o governo]”, afirma.

Leoni destaca que a cultura é vista como uma “ameaça” pelos políticos, principalmente aquela promovida pelas minorias desde o início da História do Brasil. “Eles são contra tudo aquilo que tem outros valores.” E exemplifica. “Os portugueses chegaram aqui e tentaram destruir a cultura indígena e insistiram na destruição da cultura afrobrasileira. Desde então, a cultura é criminalizada, não é apenas uma questão de silenciá-la.”

O artista diz que a saída é ir além da resistência. “Só resistir é jogar no campo deles e manter tudo como está. Não! Precisamos inventar outra coisa.”

Veja a entrevista na íntegra:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247