Aumenta pressão para Paulo Preto delatar tucanos

A família do ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, apontado como operador de propinas do PSDB paulista, está desesperada com a prisão dele e vê na denúncia contra a filha do engenheiro, Tatiana Souza Cremonini, uma forma de pressioná-lo a falar; caso Paulo Preto decida contar o que sabe, será a pá de cal na cambaleante candidatura de Geraldo Alckmin

A família do ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, apontado como operador de propinas do PSDB paulista, está desesperada com a prisão dele e vê na denúncia contra a filha do engenheiro, Tatiana Souza Cremonini, uma forma de pressioná-lo a falar; caso Paulo Preto decida contar o que sabe, será a pá de cal na cambaleante candidatura de Geraldo Alckmin
A família do ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, apontado como operador de propinas do PSDB paulista, está desesperada com a prisão dele e vê na denúncia contra a filha do engenheiro, Tatiana Souza Cremonini, uma forma de pressioná-lo a falar; caso Paulo Preto decida contar o que sabe, será a pá de cal na cambaleante candidatura de Geraldo Alckmin (Foto: Aquiles Lins)

SP 247 - A família do ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, apontado como operador de propinas do PSDB paulista, está desesperada com a prisão dele e vê na denúncia contra a filha do engenheiro, Tatiana Souza Cremonini, uma forma de pressioná-lo a falar, relata a coluna Painel.

Paulo Preto foi mencionado por um colaborador da Andrade Gutierrez na primeira fase da delação da empreiteira.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247