Belchior descarta apoio do PMDB a Gomide

Durante manifesto em apoio a Iris Rezende, presidente do partido disse acreditar em união interna entre ex-prefeito e Júnior Friboi: "Gomide não tem a maior aliança, não é o maior nas pesquisas e não está no maior partido de Goiás. E ainda tem um projeto maior que é eleger a presidente Dilma"

Durante manifesto em apoio a Iris Rezende, presidente do partido disse acreditar em união interna entre ex-prefeito e Júnior Friboi: "Gomide não tem a maior aliança, não é o maior nas pesquisas e não está no maior partido de Goiás. E ainda tem um projeto maior que é eleger a presidente Dilma"
Durante manifesto em apoio a Iris Rezende, presidente do partido disse acreditar em união interna entre ex-prefeito e Júnior Friboi: "Gomide não tem a maior aliança, não é o maior nas pesquisas e não está no maior partido de Goiás. E ainda tem um projeto maior que é eleger a presidente Dilma" (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Do site A Redação  - O presidente estadual do PMDB, Samuel Belchior, disse na quinta-feira (27) que o PMDB deve sair unido do processo de escolha de seu candidato ao governo e ao Senado. "Iris Rezende e Júnior Friboi estarão juntos na chapa majoritária", afirmou, explicando que falta definir qual dos dois concorrerá ao governo e quem tentará o Senado.

Belchior também descartou a possibilidade de apoio no primeiro turno à candidatura do prefeito de Anápolis, Antônio Gomide (PT), ao governo do Estado.

 Em entrevista ao jornal A Redação, durante manifesto em apoio a Iris Rezende, no diretório do PMDB, Belchior disse que seu partido terá candidato e refutou a ideia de o PMDB apoiar Gomide. "É muito difícil que o PMDB aceite ser vice na chapa do prefeito de Anápolis", disse. "Se o Gomide liderasse as pesquisas, se o partido fosse o que mais capta votos, aceitaríamos perfeitamente, o que não é o caso."

Samuel afirmou que o prefeito de Anápolis não é a melhor opção no momento e que o PT prioriza a eleição presidencial. "Gomide não tem a maior aliança, não é o maior nas pesquisas e não está no maior partido de Goiás. E ainda tem um projeto maior que é eleger a presidente Dilma", concluiu.

 O presidente peemedebista acredita que essa rachadura na aliança entre PT e PMDB é um "erro profundo", mas que o "PMDB vai sim lançar candidato" ao governo. "Esta é uma aliança e precisa ser mantida. O projeto tem que continuar. O PMDB vai sair ao governo e se o PT não estiver conosco, infelizmente, vamos buscar outras alianças", finalizou.

Encontro

A entrevista com Samuel Belchior aconteceu durante o manifesto em apoio a Iris Rezende, que reuniu mais de mil pessoas, entre lideranças e membros do PMDB em Goiás, no diretório regional do partido, em Goiânia.

 O movimento #VoltaIris clama pela "entrada" do ex-prefeito na campanha ao governo do Estado neste ano e uma união dentro do partido. Iris Rezende não compareceu ao evento, nem o pré-candidato do PMDB ao Palácio das Esmeraldas, Junior Friboi, que no mesmo horário realizou encontro partidário em Posse, no Nordeste de Goiás. (Alexandre Parrode)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email