Blue suspende atuação dos agentes em Palmas

A Blue, empresa concessionária do estacionamento rotativo de Palmas, anunciou nessa quinta-feira, 10, a suspensão da atuação de seus agentes no estacionamento rotativo; conforme a empresa, não houve uma fiscalização efetiva do uso das vagas, por parte da Prefeitura de Palmas; "Sem a devida fiscalização, a maioria dos usuários insiste no uso das vagas sem o correspondente pagamento, haja vista que não existe nenhum tipo de sanção pelo uso irregular das vagas, causando incalculáveis prejuízos à Blue", defendeu a empresa em nota

A Blue, empresa concessionária do estacionamento rotativo de Palmas, anunciou nessa quinta-feira, 10, a suspensão da atuação de seus agentes no estacionamento rotativo; conforme a empresa, não houve uma fiscalização efetiva do uso das vagas, por parte da Prefeitura de Palmas; "Sem a devida fiscalização, a maioria dos usuários insiste no uso das vagas sem o correspondente pagamento, haja vista que não existe nenhum tipo de sanção pelo uso irregular das vagas, causando incalculáveis prejuízos à Blue", defendeu a empresa em nota
A Blue, empresa concessionária do estacionamento rotativo de Palmas, anunciou nessa quinta-feira, 10, a suspensão da atuação de seus agentes no estacionamento rotativo; conforme a empresa, não houve uma fiscalização efetiva do uso das vagas, por parte da Prefeitura de Palmas; "Sem a devida fiscalização, a maioria dos usuários insiste no uso das vagas sem o correspondente pagamento, haja vista que não existe nenhum tipo de sanção pelo uso irregular das vagas, causando incalculáveis prejuízos à Blue", defendeu a empresa em nota (Foto: Aquiles Lins)

Tocantins 247 - A Blue anunciou na tarde desta quinta-feira, 10, que suspendeu a atuação de seus agentes no estacionamento rotativo de Palmas. Conforme a empresa, não houve uma fiscalização efetiva do uso das vagas, por parte da Prefeitura de Palmas.

"Sem a devida fiscalização, a maioria dos usuários insiste no uso das vagas sem o correspondente pagamento, haja vista que não existe nenhum tipo de sanção pelo uso irregular das vagas, causando incalculáveis prejuízos à Blue", defendeu a empresa numa nota.

Ainda segundo ela, diante da ausência de fiscalização e o consequente uso irregular das vagas, a Blue acumula prejuízo de aproximadamente R$ 3,5 milhões. "Dessa forma, não restou alternativa senão a interrupção da ação dos agentes de estacionamento e demais funcionários do Blue Palmas. A regularização pelo uso das vagas poderá ser feita pelos parquímetros e aplicativos", recomendou a empresa.

Após a suspensão da Tarifa de Pós Utilização (TPU), a Blue afirma que sua arrecadação caiu cerca de 90%. "A receita advinda pelo uso das vagas, desde fevereiro de 2016, não é suficiente para cobrir sequer metade dos gastos com a folha de pagamento dos funcionários", diz a nota.

Confira a seguir a íntegra:

"NOTA - BLUE
10/11/2016

"O Blue, Concessionária do Serviço Público para implantação, operação, gestão, controle e manutenção de sistema eletrônico informatizado e automatizado, aferição de uso remunerado das vagas de estacionamentos rotativos na cidade de Palmas/TO, vem comunicar a suspensão da atuação dos seus agentes de estacionamento e demais colaboradores.

Desde o início da implantação do estacionamento rotativo, não houve uma fiscalização efetiva do uso das vagas, por parte da Prefeitura de Palmas. Sem a devida fiscalização, a maioria dos usuários insiste no uso das vagas sem o correspondente pagamento, haja vista que não existe nenhum tipo de sanção pelo uso irregular das vagas, causando incalculáveis prejuízos ao Blue.

Após a suspensão da Tarifa de Pós Utilização (TPU), a arrecadação do Blue caiu cerca de 90%. A receita advinda pelo uso das vagas, desde fevereiro de 2016, não é suficiente para cobrir sequer metade dos gastos com a folha de pagamento dos funcionários.

De se ressaltar que os investimentos feitos na cidade, tais como construção de calçadas, pavimentação de vias, sinalização das vagas e implantação de parquímetros foram suportados diretamente pela Concessionária. A única expectativa de retorno do investimento são as cobranças pelo uso das vagas.

Ante a problemática de ausência de fiscalização e o consequente uso irregular das vagas, o Blue acumula prejuízo de aproximadamente R$ 3.500.000,00 (três milhões e quinhentos mil reais).

Dessa forma, não restou alternativa senão a interrupção da ação dos agentes de estacionamento e demais funcionários do Blue Palmas. A regularização pelo uso das vagas poderá ser feita pelos parquímetros e aplicativos.

Agradecemos a compreensão da população de Palmas e informamos que nosso escritório permanecerá aberto para mais esclarecimentos".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247