Características que seu negócio deve ter para que a Amazon não o destrua

A Amazon é a empresa mais ambiciosa do mundo. Ela está se espalhando para os mais diversos setores que possam impulsionar o seu negócio de "a loja de tudo", como logística, robótica, varejo físico... e milhões de executivos de milhares de empresas estão preocupadíssimos com a possibilidade de que a empresa de Jeff Bezos entre em seus mercados; o que o banco Morgan Stanley acredita ser como "fosso anti-Amazon" é, por exemplo, você ter produtos únicos: o primeiro fosso é ter um produto único, como itens de luxo com marca (qual a chance da Amazon criar uma bolsa que rivalizará com a Chanel?); outra cosia é são as questões regulatórias: qualquer indústria que tenha uma questão regulatória forte por trás é um desafio para a Amazon. Isso dificulta a entrada da companhia; confira  

A Amazon é a empresa mais ambiciosa do mundo. Ela está se espalhando para os mais diversos setores que possam impulsionar o seu negócio de "a loja de tudo", como logística, robótica, varejo físico... e milhões de executivos de milhares de empresas estão preocupadíssimos com a possibilidade de que a empresa de Jeff Bezos entre em seus mercados; o que o banco Morgan Stanley acredita ser como "fosso anti-Amazon" é, por exemplo, você ter produtos únicos: o primeiro fosso é ter um produto único, como itens de luxo com marca (qual a chance da Amazon criar uma bolsa que rivalizará com a Chanel?); outra cosia é são as questões regulatórias: qualquer indústria que tenha uma questão regulatória forte por trás é um desafio para a Amazon. Isso dificulta a entrada da companhia; confira
 
A Amazon é a empresa mais ambiciosa do mundo. Ela está se espalhando para os mais diversos setores que possam impulsionar o seu negócio de "a loja de tudo", como logística, robótica, varejo físico... e milhões de executivos de milhares de empresas estão preocupadíssimos com a possibilidade de que a empresa de Jeff Bezos entre em seus mercados; o que o banco Morgan Stanley acredita ser como "fosso anti-Amazon" é, por exemplo, você ter produtos únicos: o primeiro fosso é ter um produto único, como itens de luxo com marca (qual a chance da Amazon criar uma bolsa que rivalizará com a Chanel?); outra cosia é são as questões regulatórias: qualquer indústria que tenha uma questão regulatória forte por trás é um desafio para a Amazon. Isso dificulta a entrada da companhia; confira   (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

StartSe - A Amazon é a empresa mais ambiciosa do mundo. Ela está se espalhando para os mais diversos setores que possam impulsionar o seu negócio de “a loja de tudo”, como logística, robótica, varejo físico… e milhões de executivos de milhares de empresas estão preocupadíssimos com a possibilidade de que a empresa de Jeff Bezos entre em seus mercados.

Por isso, o banco americano Morgan Stanley montou um relatório com 5 tipos de negócios que “estão imunes” ao ataque da Amazon nos próximos anos. Claro que o PRINCIPAL fator para não ser destruído é  ser inovador: toda companhia se beneficia disso, em todos os níveis.

Confira o que o Morgan Stanley acredita ser como “fosso anti-Amazon”:

Produtos únicos: o primeiro fosso é ter um produto único, como itens de luxo com marca (qual a chance da Amazon criar uma bolsa que rivalizará com a Chanel?).

Questões regulatórias: qualquer indústria que tenha uma questão regulatória forte por trás é um desafio para a Amazon. Isso dificulta a entrada da companhia.

Indústrias com vendas baixas: a Amazon não demonstra interesse em produtos que não possam ser massificados ou com baixas margens brutas – produtos customizados, por exemplo. Isso significa que a Amazon não entraria nestes mercados, mas certamente não está na lista de prioridades da empresa.

Atenção no pós-venda: se seu produto precisa de atendimento em pós-venda, como instalação, é difícil que a Amazon tenha interesse. Escalar equipes de instalação não é algo que a companhia quer.

Nuances: e por fim, indústrias que possuam nuances também não interessam a Amazon. Remédios, por exemplo, é um produto vendido no varejo que a Amazon não demonstrou interesse em fabricar justamente por causa da questão da prescrição ou de políticas de reembolso.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247