Construção do Arco Metropolitano só em 2015

A licença ambiental necessária para a licitação do Lote 2 do Arco Metropolitano, no Recife, não será concedida a tempo para cumprir o prazo final do edital, que seria lançado no próximo mês; com isso, a construção da obra, que está orçada em R$ 1,34 bilhão e deve ter 98 quilômetros de extensão, será adiada para o começo de 2015. O adiamento aconteceu devido ao pedido de um estudo de fauna realizado pela Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH) em parte do trecho onde  avia será construída; o estudo deve levar quatro meses para ficar pronto

A licença ambiental necessária para a licitação do Lote 2 do Arco Metropolitano, no Recife, não será concedida a tempo para cumprir o prazo final do edital, que seria lançado no próximo mês; com isso, a construção da obra, que está orçada em R$ 1,34 bilhão e deve ter 98 quilômetros de extensão, será adiada para o começo de 2015. O adiamento aconteceu devido ao pedido de um estudo de fauna realizado pela Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH) em parte do trecho onde  avia será construída; o estudo deve levar quatro meses para ficar pronto
A licença ambiental necessária para a licitação do Lote 2 do Arco Metropolitano, no Recife, não será concedida a tempo para cumprir o prazo final do edital, que seria lançado no próximo mês; com isso, a construção da obra, que está orçada em R$ 1,34 bilhão e deve ter 98 quilômetros de extensão, será adiada para o começo de 2015. O adiamento aconteceu devido ao pedido de um estudo de fauna realizado pela Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH) em parte do trecho onde  avia será construída; o estudo deve levar quatro meses para ficar pronto (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - A licença ambiental necessária para a licitação do Lote 2 do Arco Metropolitano, no Recife, não será concedida a tempo para cumprir o prazo final do edital, que seria lançado no próximo mês. Com isso, a construção da obra, que está orçada em R$ 1,34 bilhão e deve ter 98 quilômetros de extensão, será adiada para o começo de 2015. O adiamento aconteceu devido ao pedido de um estudo de fauna realizado pela Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH), entre o trecho que vai de São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife (RMR) até a BR 101-Sul, no Cabo de Santo Agostinho, também na RMR. O estudo deve levar quatro meses para ficar pronto.

De acordo com o diretor geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Jorge Fraxe, o órgão já havia protocolado o licenciamento antes do pedido de estudo da fauna local. “O andamento das obras está nas mãos do CPRH. Só nos resta seguir o que eles recomendam. Nós já havíamos protocolado o licenciamento, mas se eles querem o estudo de fauna do trecho vamos preparar. Só que isso vai demorar cerca de 120 dias porque é preciso fazer o estudo em dias de chuva e também em dias secos. Não é tão simples”, afirmou Fraxe, ao jornal Folha de Pernambuco.

Já a assessoria da CPRH informou que o Dnit protocolou, na semana passada, uma solicitação para alterar o licenciamento entregue no dia 8 de abril, para propor um novo itinerário para o Lote 2 do Arco Metropolitano. De acordo com a CPRH, entretanto, o novo licenciamento deve ser liberado rapidamente, uma vez que a agência já estudou o traçado em questão.

Quando estiver concluído, o Arco deverá desafogar a parte urbana da BR-101, além de funcionar como uma via de transporte para a fábrica da Fiat, em Goiana, na Mata Norte de Pernambuco. A obra, que vem sendo discutida desde 2008, foi assumida pelo Governo Federal em 2013. Em dezembro do ano passado o edital da obra foi lançado, mas foi suspenso pouco depois devido a recomendações técnicas feitas pelo Tribunal de Contas da União (TCU). 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247