Decreto define residência oficial no Taquari

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP), está determinado a mudar a realidade no bairro Jardim Taquari, a 25 km do centro, na região sul da Capital; após anunciar a mudança do seu endereço para o bairro, Amastha publicou o Decreto 853/2014, que define uma área para construção da Residência Oficial do Chefe do Executivo Municipal; no local também será erguido um jardim botânico; nessa terça-feira, 9, Amastha destacou o potencial econômico do bairro em reunião com empresários; oposição fala em demagogia; prefeito repete que só deixa o local após asfaltar todas as ruas

O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP), está determinado a mudar a realidade no bairro Jardim Taquari, a 25 km do centro, na região sul da Capital; após anunciar a mudança do seu endereço para o bairro, Amastha publicou o Decreto 853/2014, que define uma área para construção da Residência Oficial do Chefe do Executivo Municipal; no local também será erguido um jardim botânico; nessa terça-feira, 9, Amastha destacou o potencial econômico do bairro em reunião com empresários; oposição fala em demagogia; prefeito repete que só deixa o local após asfaltar todas as ruas
O prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP), está determinado a mudar a realidade no bairro Jardim Taquari, a 25 km do centro, na região sul da Capital; após anunciar a mudança do seu endereço para o bairro, Amastha publicou o Decreto 853/2014, que define uma área para construção da Residência Oficial do Chefe do Executivo Municipal; no local também será erguido um jardim botânico; nessa terça-feira, 9, Amastha destacou o potencial econômico do bairro em reunião com empresários; oposição fala em demagogia; prefeito repete que só deixa o local após asfaltar todas as ruas (Foto: Aquiles Lins)

Tocantins 247 - Não bastasse ter se transferido seu endereço para o setor Jardim Taquari, na região de Palmas, o prefeito Carlos Amastha (PP) agora quer construir no bairro a Residência Oficial do Chefe do Executivo Municipal. Por meio do Decreto 853/2014, publicado na sexta-feira, 5, no Diário Oficial do Município, Amastha a futura moradia oficial será erguida em uma área na avenida TLO-5.

Segundo o decreto, na mesma quadra está prevista a construção de uma espécie de jardim botânico, que reuniria as 47 variedades de palmeiras existentes na Capital. A residência do prefeito será destinada a atender a população, sendo, portanto, propriedade pública podendo ser equiparada a um centro comunitário.

Carlos Amastha e a primeira-dama Glô Amastha já estão morando no Taquari. O prefeito tem dito que só deixa o local quando tiver concluído a pavimentação asfáltica de toda a área. Como o local tem regularização fundiária, o município não pode firmar convênios ou financiamentos para obras de infraestrutura. O prefeito do PP garantiu que irá levará o asfalto com recursos próprios da prefeitura. Amastha estima em cerca de R$ 60 milhões o investimento para asfaltar todo o Taquari, onde moram cerca de 15 mil habitantes. 

O prefeito disse que a presença do Poder Público promoverá o desenvolvimento mais rápido do bairro, distante 25 km do centro da Capital. "Além de ter conhecimento das necessidades da comunidade, a presença do prefeito atrai outros setores da sociedade, como o empresarial", disse Amastha ao Portal CT (leia aqui). Segundo ele, empresários estiveram lá no bairro nessa terça-feira, 9, e se comprometeram a instalar lojas no Taquari. Entre eles, uma importante rede de supermercados da Capital.

Críticas e elogios

A mudança de Amastha para o Taquari tem municiado a oposição de críticas ao prefeito. Seu principal adversário, o deputado Marcelo Lélis (PV), candidato a vice-governador da coligação "A experiência faz a mudança", classificou a instalação do prefeito no bairro como demagogia. Segundo Lélis, o povo quer a regularização fundiária do bairro e a pavimentação asfáltica, independente se o prefeito irá morar no local. 

Já para o presidente eleito da Câmara Municipal, vereador Rogério Freitas (PMDB), a ida para o bairro mostra que o Taquari se tornou prioridade para o prefeito. Freitas rebateu as críticas de Lélis. "Demagógica é a oposição, que diz que vai transformar o Taquari, e, quando teve a oportunidade, não fez nada, nem os títulos dos moradores foram capazes de entregar. O Amastha está fazendo mais do que todos eles e ainda tem 2,5 anos pela frente. Essa é, na verdade, a grande preocupação da oposição", alfinetou. 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247