‘Escola Sem Partido tenta usurpar o pensamento crítico das escolas’

A deputada federal reeleita Margarida Salomão (PT-MG) criticou o projeto Escola Sem Partido, que prevê a proibição de supostas doutrinações políticas ou ideológicas nas instituições de ensino; "(O projeto) é chamado de 'Lei da Mordaça" porque tenta usurpar o pensamento crítico do ambiente escolar", disse; "Escola é lugar para desenvolver o pensamento"

‘Escola Sem Partido tenta usurpar o pensamento crítico das escolas’
‘Escola Sem Partido tenta usurpar o pensamento crítico das escolas’ (Foto: Ananda Borges - Câmara)

Minas 247 - A deputada federal reeleita Margarida Salomão (PT-MG) criticou o projeto Escola Sem Partido, que prevê a proibição de supostas doutrinações políticas ou ideológicas nas instituições de ensino.

"(O projeto) é chamado de 'Lei da Mordaça" porque tenta usurpar o pensamento crítico do ambiente escolar", escreveu a parlamentar no Twitter.

Segundo a congressista, a proposta "é uma ameaça à liberdade de expressão. Escola é lugar para desenvolver o pensamento".

"A Lei da Mordaça' interfere de forma ilegal e inconstitucional no processo democrático de organização escolar, ao sugerir código de conduta às avessas aos educadores e educadoras", acrescentou.

De acordo com a parlamentar, "a censura ao ensino do que é racismo ou homofobia na sociedade brasileira é um retrocesso, especialmente em classes com estudantes de famílias racistas ou homofóbicas". "A democracia escolar pode ser anulada como nos tempos de ditadura militar. Os estudantes lutaram e conquistaram o direito legal de se organizar e ter voz e participação nas escolas".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247