Governador do RS tenta solucionar crise

Governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori foi ao Ministério da Fazenda pedir socorro financeiro ao governo federal. A expectativa é que Sartori tenha um encontro com o ministro Joaquim Levy; Sartori determinou o pagamento dos salários atrasados dos servidores públicos, que estavam atrasados há 12 dias. Para compensar essa despesa no caixa, o governador suspendeu os repasses das obrigações que o estado tem com a União, o que levou o governo federal a bloquear das contas do estado

José Ivo Sartori
José Ivo Sartori (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Daniel Lima - Repórter da Agência Brasil

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, está na manhã desta quarta-feira (12), no Ministério da Fazenda, para pedir socorro financeiro ao governo federal. A expectativa é que Sartori tenha um encontro com o ministro Joaquim Levy.

Sartori determinou o pagamento dos salários atrasados dos servidores públicos, que estavam atrasados há 12 dias. Para compensar essa despesa no caixa, o governador suspendeu os repasses das obrigações que o estado tem com a União. E determinou também a suspensão de repasses a municípios, hospitais e fornecedores. Com isso, o governo federal determinou o bloqueio ontem (11) das contas do Rio Grande do Sul, como sanção pelo não pagamento da parcela da dívida com a União referente ao mês de julho.

O governo do Rio Grande do Sul foi comunicado pelo Banrisul, banco que detém as contas do estado.

O Banco do Brasil, que é o agente financeiro responsável por executar a cobrança da dívida dos estados com a União, remeteu ofício ao Banrisul notificando a medida, com base na cláusula 15ª da Lei 9.496, de 1997. A lei trata de contratos de refinanciamento com a União.

A determinação é para que o Banrisul bloqueie os recursos disponíveis no caixa estadual diariamente e os transfira para uma conta específica do Banco do Brasil até atingir o montante devido, de quase R$ 265 milhões.

O volume a ser pago varia mês a mês porque corresponde a 13% da receita do Rio Grande do Sul.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email